Rússia e Ucrânia realizam maior troca de prisioneiros desde o início da guerra

Rússia mantém ataque com drones ao território ucraniano
Rússia mantém ataque com drones ao território ucraniano Direitos de autor Efrem Lukatsky/AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais de 200 prisioneiros ucranianos e outros 248 prisioneiros russos regressaram a casa, na sequência de um acordo mediado pelos Emirados Árabes Unidos.

PUBLICIDADE

A Ucrânia e a Rússia procederam à maior troca de prisioneiros desde o início da guerra na quarta-feira, na sequência de um acordo mediado pelos Emirados Árabes Unidos.

Cerca de 230 prisioneiros ucranianos regressaram a casa na primeira troca em quase cinco meses. Entre eles estavam alguns daqueles que lutaram em batalhas marcantes na Ilha da Serpente e na cidade ucraniana de Mariupol.

Outros 240 prisioneiros russos também foram libertados. Imagens dos militares  publicadas nas redes sociais mostravam alguns deles a comemorar e a agradecer ao Presidente russo Vladimir Putin.

O Presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy garantiu que continuará a trabalhar para a troca de mais prisioneiros e que todas as oportunidades para essas negociações serão aproveitadas.

Moscovo continua a tentar enfraquecer o sistema de defesa aérea da Ucrânia com uma série de ataques com drones em várias cidades, incluindo Odessa.

Entretanto, a NATO comprometeu-se a ajudar a comprar até 1.000 mísseis Patriot para apoiar a Ucrânia na capacidade de intercetar ataques aéreos russos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nova vaga de ataques russos na Ucrânia faz pelo menos quatro mortos

Ucrânia acusa Rússia de atacar civis de forma deliberada em Kiev e Kharkiv

Campanhas de recrutamento não funcionam na Ucrânia