Estabilizar apoio financeiro à Ucrânia é prioridade da presidência belga do Conselho da UE

Primeiro-ministro belga
Primeiro-ministro belga Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro belga frisou, ao lado da presidente da Comissão Europeia, que o financiamento à Ucrânia não deixará de ser uma prioridade nos próximos seis meses.

PUBLICIDADE

Preparar o futuro e estabilizar o apoio financeiro à Ucrânia são as prioridades da presidência belga do Conselho da União Europeia.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von Der Leyen, juntou-se esta sexta-feira ao primeiro-ministro Alexander de Croo, em Bruxelas, para assinalarem o início da presidência rotativa dos belgas, e ambos reforçaram que a ajuda à Ucrânia não deixará de ser uma preocupação nos próximos seis meses.

"Todos assistimos aos recentes bombardeamentos brutais na Ucrânia [...], precisamos urgentemente de avançar com a estabilização do apoio financeiro ao país", reiteirou von der Leyen.

"A população europeia olha para a União Europeia. Olha para a União Europeia com expectativas claras, com expectativas de ser protegido, de reforçar o seu bem-estar e com a expectativa de preparar um futuro comum. Um futuro comum aqui na Europa também quer dizer, claro, a Ucrânia no coração da Europa", acrescentou ainda o primeiro-ministro belga.

Em dezembro, os líderes europeus falharam o acordo para aprovar o quadro financeiro plurianual. Dentro deste quadro está o pacote de 50 mil milhões de euros para ajudar a Ucrânia até 2027. O impasse será novamente abordado numa cimeira extraordinária em fevereiro.

A Bélgica assumiu a 1 de janeiro de 2024, pela décima terceira vez, a presidência rotativa do Conselho da União Europeia, sucedendo a Espanha.

O lema dos belgas para o próximo semestre é proteger, fortalecer e preparar, durante um período que se antevê politicamente turbulento na Europa, com as eleições europeias marcadas para o próximo mês de junho. 

Depois da presidência belga segue-se a presidência húngara, com nova composição do Parlamento Europeu e Comissão Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Soldados ucranianos na linha da frente: quando não há vida além da guerra

Chanceler alemão admite que aliados europeus não estão a entregar armas suficientes à Ucrânia

Vários edifícios danificados após ataque de drones russos em Dnipro