EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Macron aposta em Attal para revigorar agenda política e mandato presidencial

O Presidente francês Emmanuel Macron e o recém-nomeado primeiro-ministro Gabriel Attal
O Presidente francês Emmanuel Macron e o recém-nomeado primeiro-ministro Gabriel Attal Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um dos principais desafios do novo primeiro-ministro francês será relançar a imagem do executivo e conter o crescimento da extrema-direita no país, em ano de eleições europeias.

PUBLICIDADE

O recém-nomeado primeiro-ministro francês tomou as rédeas da governação, numa jogada para revitalizar a agenda política de Emmanuel Macron e o mandato presidencial.

Gabriel Attal assumiu o lugar de Élisabeth Borne que pediu a demissão na segunda-feira. Com apenas 34 anos, é o primeiro-ministro mais jovem na história de França.

Até agora, o mais jovem primeiro-ministro da 5.ª República tinha sido Laurent Fabius, com 37 quando foi nomeado por François Mitterrand em 1984.

"Foi dito nas últimas horas, eu li e ouvi: O mais jovem Presidente da República da história nomeia o mais jovem primeiro-ministro da história. Vejo isso como um símbolo de audácia e de mudança. É também, e talvez acima de tudo, um símbolo de confiança. Confiança na juventude, uma geração que merece ser defendida sem desculpas", prometeu Attal.

Élisabeth Borne abandonou as funções de primeira-ministra, num período de grande especulação sobre uma possível remodelação governamental,ao fim de 20 meses marcados pela contestação social e pelas dificuldades em fazer avançar a agenda presidencial.

Macron espera que o jovem primeiro-ministro seja capaz de revigorar um executivo desgastado pelas medidas controversas dos últimos meses a tempo de conter o crescimento da extrema-direita no país, que se perfila para obter um bom resultado nas eleições europeias deste ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeira-ministra francesa Élisabeth Borne demite-se

Macron sai em defesa da polémica nova lei para a imigração

Presidente da Câmara de Paris nada nas águas do rio Sena