Zelenskyy recusa pausa nos combates que só servirá para rearmar a Rússia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, reuniu-se na quinta-feira com o Presidente da Estónia, Alar Karis
O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, reuniu-se na quinta-feira com o Presidente da Estónia, Alar Karis Direitos de autor Raigo Pajula/Oficina del presidente de la República de Estonia vía AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Presidente Ucraniano considera que qualquer pausa nos combates só servirá para rearmar a Rússia que, neste momento, atravessa um défice de munições e equipamento.

PUBLICIDADE

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, considera que a Rússia pode ser travada, mas insiste que Kiev necessita urgentemente de mais sistemas de defesa aérea.

Na Estónia, em visita pelos países Bálticos depois de ter estado na quarta-feira na Lituânia, o chefe de Estado ucraniano disse que qualquer pausa nos combates só vai ajudar Moscovo a rearmar-se, permitindo à Rússia esmagar a Ucrânia.

"Fazer uma pausa? Correr um risco? Dar dois ou três anos à Federação Russa? Mais tarde, esmagar-nos-ão. Não vamos correr esse risco", declarou Zelenskyy durante a conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Estónia, Alar Karis.

Já Karis afirmou que a Estónia prometeu 1,2 mil milhões de euros de ajuda à defesa da Ucrânia para o período 2024-2027.

O Presidente ucraniano sublinhou que a Rússia tem neste momento um défice de armas e equipamento, além de ter perdido a maioria das suas forças mais experientes, estando agora a mobilizar priosioneiros.

Contudo, os ataques russos persistem e, na verdade, nas últimas semanas os ataques aéreos com mísseis e drones intensificaram-se.

Um desses ataques atingiu na quarta-feira à noite um hotel em Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, deixando mais de uma dezena de pessoas feridas, incluindo dois jornalistas estrangeiros. Vários outros edifícios, incluindo dois prédios residenciais, bem como automóveis, também foram danificados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Conselho NATO-Ucrânia reúne-se para discutir ataques russos e reforço da defesa aérea

31 000 soldados ucranianos mortos desde o início da invasão russa

Dirigentes da UE estão em Kiev para assinalar dois anos da invasão russa