Scholz junta-se a milhares de pessoas em manifestação contra extrema-direita em Potsdam

O chanceler alemão Olaf Scholz juntou-se aos milhares de manifestantes em Potsdam
O chanceler alemão Olaf Scholz juntou-se aos milhares de manifestantes em Potsdam Direitos de autor euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Milhares de pessoas participaram numa manifestação em Potsdam contra a extrema-direita, na sequência de uma reunião onde foram discutidos planos para expulsar imigrantes do país.

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas participaram numa manifestação no domingo em Potsdam, para protestar contra as atividades da extrema-direita na Alemanha. 

A manifestação foi convocada depois das notícias que deram conta de reuniões na cidade entre grupos radicais e políticos da extrema-direita do partido Alternativa para a Alemanha (AfD).

Os protestos contaram com a presença do chanceler alemão, Olaf Scholz, e da chefe da diplomacia alemã, Annalena Baerbock. Também participaram a ministra do estado federal de Brandeburgo, a social-democrata Manja Schüle, bem como os líderes dos grupos parlamentares do Partido Socialista (SPD), da União Democrata Cristã (CDU), os Verdes e a Esquerda.

A organização "Correctiv", que se dedica ao jornalismo de investigação, revelou na quarta-feira passada que, em novembro de 2023, políticos da AfD participaram em Potsdam numa reunião organizada por figuras influentes da extrema-direita, na qual foram discutidos planos para expulsar milhões de estrangeiros do país.

No centro do evento esteve o austríaco Martin Sellner, considerado um dos líderes do Movimento Identitário da extrema-direita europeia, que apresentou um "plano diretor" para alcançar o que certas fações extremistas chamam de "remigração", ou seja, "limpeza étnica" de cidadãos estrangeiros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Poderá Taylor Swift travar ascensão da extrema-direita na Europa?

Principal suspeito do rapto de Madeleine McCann volta a tribunal na Alemanha

Ataque à faca em escola da Alemanha faz quatro feridos, dois com gravidade