EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Camionistas polacos suspendem bloqueio na fronteira com a Ucrânia

O protesto dos camionistas polacos dura desde novembro
O protesto dos camionistas polacos dura desde novembro Direitos de autor Alberto Pezzali/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Alberto Pezzali/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os camionistas polacos suspenderam o bloqueio de fronteiras com a Ucrânia para chegarem a acordo com o governo de Donald Tusk sobre as licenças concedidas aos transportadores ucranianos.

PUBLICIDADE

O novo governo polaco de Donald Tusk chegou a um acordo com os camionistas que há meses bloqueiam os camiões ucranianos na fronteira entre a Polónia e a Ucrânia.

No início de novembro as empresas de transporte de mercadorias polacas bloquearam vários postos fronteiriços, em protesto contra os camionistas ucranianos, cuja concorrência consideram desleal.

Os transportadores polacos exigem o restabelecimento de um sistema europeu de licenças para as empresas de transportes ucranianas que enviam camiões para a Polónia. A União Europeia abandonou este sistema para apoiar Kiev após o início da invasão russa em fevereiro de 2022. Inicialmente assinado por um ano em junho de 2022, o acordo para liberalizar o transporte de mercadorias entre a Ucrânia e o espaço comunitário europeu foi posteriormente prorrogado até junho de 2024.

Agora, os camionistas polacos puseram fim à greve para permitir novas negociações. 

"Foi alcançado um acordo e, para ser honesto, esperamos que este seja o início de uma feliz resolução para esta situação complicada", adiantou Paweł Śliz, deputado do partido polaco Terceira Via.

Os primeiros camionistas ucranianos conseguiram atravessar a fronteira sem grandes obstáculos. Uma agradável recompensa para muitos que passam horas na estrada e apenas querem chegar a casa. Especialmente durante o inverno.

"Desde a noite que estávamos à espera, mas está a correr tudo bem, continua a andar... Depois estamos em casa, a mulher está à espera e os filhos, a família, e as mulheres e os filhos dos motoristas polacos também estão à espera deles", diz Sergii, um motorista ucraniano.

Embora os motoristas polacos digam que não vão abdicar das exigências que fazem, estão dispostos a dar uma chance ao novo governo do país.

"Demos tempo ao nosso governo polaco, até ao dia 1 de março, para podermos simplesmente sentar-nos e ver o que conseguem fazer por nós. Um pequeno sucesso é o facto de, do lado ucraniano, os veículos que [estão prestes a] entrar na Polónia já estão excluídos da chamada "fila eletrónica", e podem registar-se até às 20 horas e sair primeiro da Ucrânia, pelo que já podemos ver aqui os primeiros actos de boa vontade do lado ucraniano", diz Jacek Sokol, porta-voz da greve dos camionistas. 

A suspensão da greve em três postos fronteiriços é temporária e as negociações e acordos ainda estão a decorrer. Para conhecer a redação final do acordo, os camionistas terão de esperar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agricultores juntam-se aos camionistas no bloqueio na fronteira Polónia-Ucrânia

Análise: Porque é que os camionistas bloqueiam a fronteira com a Ucrânia?

Camionistas polacos bloqueiam fronteiras entre Polónia e Ucrânia