25 mortos após bombardeamento a mercado na Ucrânia ocupada pela Rússia

Pessoas passam por corpos de vítimas mortas durante o bombardeamento que as autoridades russas em Donetsk disseram ter sido conduzido pelas forças ucranianas
Pessoas passam por corpos de vítimas mortas durante o bombardeamento que as autoridades russas em Donetsk disseram ter sido conduzido pelas forças ucranianas Direitos de autor Alexei Alexandrov/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

As autoridades russas classificaram o incidente como um "ataque terrorista" acusando a Ucrânia de responsável pelo ataque. Kiev não comentou o sucedido.

PUBLICIDADE

As autoridades locais afirmaram que pelo menos 25 pessoas foram mortas depois de um mercado na cidade de Donetsk ter sido bombardeado no domingo.

Outras 20 pessoas ficaram feridas no ataque ao subúrbio de Tekstilshchik, incluindo duas crianças, disse Denis Pushilin, chefe das autoridades russas instaladas em Donetsk. Segundo Pushilin, os projéteis foram disparados por militares ucranianos.

Kiev ainda não comentou o acontecimento. Além disso, as alegações das autoridades russas não puderam ser verificadas de forma independente.

Pushilin afirmou que a zona tinha sido atingida por artilharia de calibre 155 mm e 152 mm e que os projéteis tinham sido disparados da direção de Kurakhove e Krasnohorivka, a oeste. Confirmou também que os serviços de emergência continuavam a trabalhar no local.

Numa declaração, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia descreveu o bombardeamento, que atribuiu à Ucrânia, como um "ataque terrorista".

"Estes ataques terroristas do regime de Kiev demonstram a sua falta de vontade política para alcançar a paz e a resolução deste conflito por meios diplomáticos", afirmou.

Terminal de transporte de produtos químicos do porto russo de Ust-Luga em chamas

Também no domingo, um incêndio deflagrou num terminal de transporte de produtos químicos no porto russo de Ust-Luga, na sequência de duas explosões, informaram as autoridades regionais. Os meios de comunicação social locais informaram que o porto tinha sido atacado por drones ucranianos, provocando a explosão de um tanque de gás.

O incêndio ocorreu num local gerido pelo segundo maior produtor de gás natural da Rússia, Novatek, 165 quilómetros a sudoeste de São Petersburgo.

Num comunicado enviado à agência russa RBC, a empresa afirmou que o incêndio foi o resultado de uma "influência externa". A empresa afirmou ainda que tinha suspendido as operações no porto.

Yuri Zapalatsky, o chefe do distrito russo de Kingisepp, onde se situa o porto, disse num comunicado que não havia vítimas, mas que a área tinha sido colocada em alerta máximo.

A agência noticiosa Fontanka informou que dois drones tinham sido detetados a voar em direção a São Petersburgo na manhã de domingo, mas que tinham sido redireccionados para o distrito de Kingisepp. A Associated Press não conseguiu verificar os relatos de forma independente.

O Ministério da Defesa russo não comunicou qualquer atividade de drones na zona de Kingisepp no seu briefing diário. O Ministério disse que quatro drones ucranianos tinham sido abatidos na região russa de Smolensk e que outros dois tinham sido abatidos nas regiões de Oryol e Tula.

As autoridades russas confirmaram anteriormente que um drone ucraniano tinha sido abatido nos arredores de São Petersburgo na quinta-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pelo menos seis mortos e dezenas de feridos após novos ataques russos em Kiev e Kharkiv

Ucrânia pede mais artilharia para enfrentar a Rússia

ISW: Ucrânia conseguiu reduzir significativamente as atividades da Rússia no Mar Negro