Rishi Sunak saúda recuperação das instituições autónomas na Irlanda do Norte

Rishi Sunak com a primeira-ministra da Irlanda do Norte, Michelle O'Neill, e a vice-primeira-ministra, Emma Little-Pengelly
Rishi Sunak com a primeira-ministra da Irlanda do Norte, Michelle O'Neill, e a vice-primeira-ministra, Emma Little-Pengelly Direitos de autor Oliver McVeigh/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro britânico encontrou-se com as líderes do governo autónomo da Irlanda do Norte. Visita ocorre na sequência do acordo dos unionistas com o governo de Sunak que ditou o fim do boicote de quase dois anos ao executivo regional.

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, reuniu-se com a primeira-ministra da Irlanda do Norte, Michelle O'Neill, do partido nacionalista Sinn Féin, e com a vice-primeira ministra da Irlanda do Norte, Emma Little-Pengelly, do Partido Democrata Unionista (DUP).

O encontro decorreu no Castelo de Stormont, onde funciona a assembleia regional. Rishi Sunak foi acompanhado pelo primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, e os dois saudaram a recuperação das instituições autónomas em Belfast.

O DUP viabilizou no sábado a formação da assembleia e do executivo autónomos da Irlanda do Norte após dois anos de impasse devido a divergências quanto aos termos do acordo do Brexit.

A republicana Michelle O'Neill, que é a favor da unificação da Irlanda, como um só país no futuro, foi designada primeira-ministra pelo Stormont. Já a unionista Emma Little-Pengelly, empenhada em manter a Irlanda do Norte dentro do Reino Unido, foi escolhida como vice-primeira-ministra.

Nos termos do acordo de paz de 1998, o governo regional é gerido numa base de poder partilhado entre os unionistas britânicos e os nacionalistas irlandeses, o que permitiu ao DUP impedir a formação de um executivo.

Depois de o Sinn Féin ter conquistado o maior número de assentos na assembleia na sequência das eleições regionais de 2022, o DUP boicotou o executivo autónomo para pressionar Londres e Bruxelas a renegociarem os termos do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

No entanto, após dois anos de impasse o DUP conseguiu chegar a acordo com o governo britânico, para uma nova legislação sobre sobre controlos aduaneiros pós-Brexit.

As novas medidas prevêem o alargamento de uma "via verde" para que mercadorias que circulem entre a Irlanda do Norte e o resto do Reino Undo não necessitem de controlos aduaneiros.

Esta "via verde" foi criada pelo Acordo-Quadro de Windsor, negociado entre Londres e Bruxelas no ano passado para romper o impasse na região, mas cujos termos o DUP considerou insuficientes. 

Rishi Sunak anunciou também que a legislação da União Europeia (UE) deixará de se aplicar automaticamente à Irlanda do Norte e prometeu 3,3 mil milhões de libras (3,9 mil milhões de euros) ao novo executivo para ajudar nas finanças.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Unionistas terminam bloqueio: parlamento da Irlanda do Norte pode retomar atividade no fim de semana

Vítimas da violência na Irlanda do Norte põem governo em tribunal

Câmara dos Comuns aprova acordo sobre a Irlanda do Norte