Guerra na Faixa de Gaza é um conflito mortal para jornalistas

Guerra na Faixa de Gaza
Guerra na Faixa de Gaza Direitos de autor Hatem Ali/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Foram mortos mais profissionais dos media nos primeiros três meses de conflito, do que alguma vez foram mortos num único país durante um ano inteiro.

PUBLICIDADE

A guerra em Gaza está ser particularmente cruel para os jornalistas.

Mais de três quartos dos 99 profissionais dos media mortos em todo o mundo em 2023 morreram neste conflito. 

Foram mortos mais jornalistas nos primeiros três meses desta guerra do que alguma vez foram mortos num único país durante um ano inteiro.

Os dados fazem parte do novo relatório doComité para a Proteção dos Jornalistas. O grupo está a a investigar se 12 jornalistas mortos na guerra entre Israel e o Hamas foram deliberadamente visados por soldados israelitas. Segundo os dados do Comité, 72 jornalistas palestinianos foram mortos nos ataques israelitas a Gaza

Fora desta guerra, um total de 22 jornalistas e trabalhadores dos media foram mortos em 18 países.

O número de jornalistas mortos em 2023 é o mais elevado desde 2015 e revela um aumento de quase 44% em relação aos valores de 2022.

Os ataques jornalistas mantêm-se no México, na Somália e nas Filipinas, três dos países mais perigosos para se exercer a profissão. 

Apesar de no México o número de mortos ter caído de um recorde de 13 em 2022 para dois em 2023, os jornalistas continuam a enfrentar assédio, ameaças e sequestro num contexto de corrupção e do crime organizado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Navio capturado pelo Irão tem bandeira portuguesa. Portugal "aciona" diplomacia em Teerão

ONU preocupada com distribuição de água em Gaza

Casa Branca diz desconhecer data para a ofensiva terrestre em Rafah