As Falklands pertencem ao Reino Unido? Nova sondagem revela que nem toda a gente na Europa está de acordo

Nesta fotografia de 8 de março de 2012, um cartaz dá as boas-vindas às pessoas no porto onde chegam os navios de cruzeiro em Stanley, nas Ilhas Falkland.
Nesta fotografia de 8 de março de 2012, um cartaz dá as boas-vindas às pessoas no porto onde chegam os navios de cruzeiro em Stanley, nas Ilhas Falkland. Direitos de autor Michael Warren/
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Para os espanhóis, o diferendo territorial com os britânicos é-lhes muito caro, comparando-o à situação do Rochedo de Gibraltar.

PUBLICIDADE

Islas Malvinas ou Ilhas Falkland?

Mais de 40 anos após a guerra de 10 semanas entre o Reino Unido e a Argentina, o arquipélago de propriedade britânica - a menos de 500 quilómetros da costa argentina - continua a causar polémica.

Uma nova sondagem YouGov EuroTrack perguntou aos europeus, bem como aos britânicos e americanos, o que pensavam da seguinte questão: a quem devem pertencer as Falklands - ao Reino Unido ou à Argentina?

Enquanto no Reino Unido uma confortável maioria (57%) acredita que a soberania sobre as Falklands lhes pertence, apenas 16% acreditam que deve estar nas mãos da Argentina.

Estes resultados não são surpreendentes, uma vez que uma sondagem do YouGov realizada há alguns meses sugeria que os britânicos ficariam mais perturbados se Gibraltar e as Malvinas deixassem o Reino Unido do que a Irlanda do Norte.

Mais de 32% dos britânicos disseram que ficariam "perturbados" se a Irlanda do Norte saísse do Reino Unido, enquanto 35% e 33%, respetivamente, disseram o mesmo em relação às Ilhas Falkland e a Gibraltar (um enclave na Península Ibérica).

Mas será que os outros europeus pensam da mesma forma que os britânicos?

Enquanto a Europa do Norte é a favor da soberania britânica, com cerca de 30% dos inquiridos dinamarqueses e suecos a apoiarem esta opção, tanto a Europa Central como a do Sul têm dúvidas.

Também 30% dos inquiridos - alemães e italianos - apoiam a reivindicação argentina e acreditam que o país tem soberania sobre as ilhas.

Nesta foto de arquivo de 18 de setembro de 2015, o Museu das Malvinas apresenta rochas com a forma das Malvinas, ou Ilhas Falkland, em Buenos Aires, Argentina.
Nesta foto de arquivo de 18 de setembro de 2015, o Museu das Malvinas apresenta rochas com a forma das Malvinas, ou Ilhas Falkland, em Buenos Aires, Argentina.Natacha Pisarenko/AP

No entanto, a Espanha posicionou-se como o mais forte defensor da Argentina na Europa. Cerca de 52% dos espanhóis inquiridos são claros: as ilhas devem ser argentinas.

Os espanhóis têm um forte sentimento em relação à disputa territorial com os britânicos, comparando-a com a situação em Gibraltar.

As tensões diplomáticas com o enclave são cíclicas, nomeadamente no que se refere à utilização das águas adjacentes por Gibraltar. A península reclama-as como suas, mas a Espanha não o reconhece e reclama a sua soberania.

Uma sondagem recente revelou que apenas 18% dos britânicos aceitariam devolver Gibraltar a Espanha.

A sondagem do Yougov também questionou os americanos sobre as Malvinas e concluiu que mais de 30% eram a favor da soberania britânica.

Esta nova sondagem vem lançar achas na fogueira após o impasse muito tenso entre o governo britânico e a União Europeia, que voltou a colocar as ilhas na ribalta este verão.

Os britânicos tentaram evitar o inevitável. A União Europeia decidiu referir-se às ilhas pelo seu nome espanhol e pelo seu nome britânico. Uma mudança significativa.

Enquanto o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, emitiu uma declaração deplorando a "lamentável escolha de palavras" da UE, o ministro dos Negócios Estrangeiros argentino, Santiago Cafiero, congratulou-se com a vontade da UE de "tomar nota" da reivindicação territorial do seu governo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Brexit: Argentina quer debate sobre estatuto das Malvinas

Guerra das Malvinas: Identificados 90 soldados

Argentina apresenta queixa contra petrolíferas que operam nas Malvinas