Ativista dos direitos humanos russo condenado a dois anos e meio de prisão

Oleg Orlov
Oleg Orlov Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/ AP
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Oleg Orlov manifestou-se contra a guerra e foi condenado por "desacreditar repetidamente" o exército.

PUBLICIDADE

Um tribunal de Moscovo condenou a dois anos e meio de prisão o copresidente de um grupo de defesa dos direitos humanos galardoado com o Prémio Nobel.

Oleg Orlov tem 70 anos. manifestou-se contra a guerra e foi condenado por "desacreditar repetidamente" o exército russo num artigo que escreveu denunciando a invasão da Ucrânia.

Ontem, o Ministério Público exigiu que fosse condenado a dois anos e 11 meses de prisão. Segundo a agência noticiosa independente russa Mediazona, a acusação alegou que Orlov, copresidente do grupo de direitos humanos Memorial, publicou o artigo motivado pela hostilidade "contra os valores espirituais, morais e patrióticos tradicionais russos" e pelo ódio aos militares russos.

O veredicto concluiu um novo julgamento, depois de Orlov ter sido anteriormente condenado a pagar uma multa. Sublinhando a pouca tolerância do governo do Presidente Vladimir Putin para com as críticas à invasão da Ucrânia, a acusação recorreu da coima, procurando uma punição mais severa.

Orlov foi detido na sala de audiências.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Confrontos e detenções em protesto na Geórgia contra lei dos "agentes estrangeiros"

Aos 79 anos, Olga despede-se da sua casa destruída por um ataque aéreo russo

Rússia mantém vaga de bombardeamentos sobre leste da Ucrânia