Primárias no Michigan: Biden vence corrida dos democratas e Trump triunfa entre republicanos

Eleições EUA
Eleições EUA Direitos de autor Paul Sancya/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Paul Sancya/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O atual presidente dos EUA e o antigo inquilino da Casa Branca venceram por grande margem as primárias dos respetivos partidos no Estado do Michigan, que se realizaram na terça-feira.

PUBLICIDADE

Joe Biden venceu as primárias do Partido Democrata no Estado do Michigan, onde também se realizaram na terça-feira as eleições primárias do Partido Republicano, que deram vitória ao antigo presidente Donald Trump.

A imprensa internacional assinala que o atual inquilino da Casa Branca não teve qualquer rival na eleição mas, em milhares de boletins de votos, foi preenchida a opção "não comprometido", em resultado de uma campanha realizada nas últimas semanas pelo grupo "Listen to Michigan" - "Oiçam o Michigan", em tradução literal - que apelava ao voto de protesto nas primárias democratas devido ao apoio de Biden à ofensiva de Israel contra o Hamas, pedindo um cessar-fogo na Faixa de Gaza.

O grupo tinha pedido pelo menos 10 mil votos "não comprometidos" nas primárias mas, com apenas 31% dos votos contabilizados, esta opção já tinha recebido mais de 40 mil votos. Segundo a CNN, quando a contagem de votos chegou à metade, os "não comprometidos" ascendiam a cerca de 13%, número que se foi mantendo à medida que a contagem avança.

O movimento declarou vitória, não pelo número de votos mas por ter conseguido chamar a atenção: Andy Levin, que já fez parte do Congresso norte-americano e participou nos esforços eleitorais do "Listen to Michigan", disse à CNN: "Sabemos que Joe Biden vai ser o nosso nomeado. Por isso, é um resultado muito, muito significativo", garantiu. "A minha preocupação era que esta eleição acontecesse e o presidente não recebesse a mensagem sobre como as pessoas estão irritadas", esclareceu.

Em comunicado, emitido após serem conhecidos das primárias, a campanha de Biden não fez qualquer comentário ao movimento que pedia o cessar-fogo em Gaza, optando apenas por sublinhar que Trump, o mais que provável opositor de Biden nas presidenciais, está a ameaçar "arrastar" o país para o passado enquanto procura "vingança".

Ao início da manhã em Portugal, e com mais de 70% dos votos contados, Biden vence no Michigan com 81%; Marianne Williamson conseguiu apenas 3% e Dean Phillips não passou dos 2,8%. Os não comprometidos chegam aos 12,7%.

Trump vence Haley pela quinta vez

Já Donald Trump venceu pela quinta vez consecutiva a rival Nikki Haley: a Associated Press declarou a vitório do antigo presidente dos EUA contra a ex-embaixadora norte-americana da ONU pouco depois de terem fechado as urnas. Com 83% dos votos contabilizados, Trump chegava na manhã desta quarta-feira aos 68% contra os 26,6% de Nikki Haley e 0,2% de Ryan Binkley.

Haley prometeu continuar na corrida pela nomeação republicana pelo menos até 5 de março, dia em que vão a votos 15 estados e Trump poderá declarar vitória incontestada.

 A campanha do antigo presidente referiu apenas que os resultados nas primárias do Michigan tinham sido "muito melhores do que o antecipado".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump vence primárias na Carolina do Sul. Nikki Haley promete manter-se na corrida

Trump compara problemas legais à perseguição feita ao opositor russo Alexei Navalny

Comício de Biden sobre aborto interrompido por manifestantes pró-Palestina