EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Parlamento espanhol aprova amnistia para separatistas catalães depois de o líder da região ter convocado eleições antecipadas

O Presidente da Catalunha, Pere Aragones, fala aos meios de comunicação social em frente ao Parlamento espanhol em Madrid, Espanha, quinta-feira, 21 de abril de 2022.
O Presidente da Catalunha, Pere Aragones, fala aos meios de comunicação social em frente ao Parlamento espanhol em Madrid, Espanha, quinta-feira, 21 de abril de 2022. Direitos de autor AP Photo/Manu Fernandez, File
Direitos de autor AP Photo/Manu Fernandez, File
De  Euronews com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

A aprovação da controversa lei da amnistia surge um dia depois de o presidente da Catalunha, Pere Aragonès, ter convocado eleições antecipadas para maio.

PUBLICIDADE

O Presidente da Catalunha, Pere Aragonès, convocou eleições antecipadas para 12 de maio, depois de o seu governo minoritário não ter conseguido aprovar um orçamento para a região do nordeste de Espanha.

"A 12 de maio, os cidadãos catalães vão escolher entre a responsabilidade e a irresponsabilidade", disse Aragones num discurso televisivo na quarta-feira, acusando os partidos que se opuseram à sua proposta de orçamento de serem "irresponsáveis".

Os eleitores vão às urnas para eleger os deputados que vão ocupar os 135 lugares do parlamento da região autónoma.

A decisão poderá ter consequências significativas para a política nacional espanhola, uma vez que o primeiro-ministro Pedro Sánchez depende atualmente dos partidos separatistas catalães para aprovar leis no parlamento nacional.

O anúncio de Aragonès foi feito na véspera da votação no parlamento nacional espanhol de uma controversa lei de amnistia que poderá perdoar centenas de líderes e apoiantes do movimento separatista, incluindo os envolvidos na tentativa mal sucedida da região de declarar a independência de Espanha em 2017.

Embora alguns vejam o projeto de lei como escandalosamente indulgente para com aqueles que provocaram uma das maiores crises do país desde a morte do general Francisco Franco em 1975, Sánchez e o seu partido deverão apoiar a lei de amnistia na quinta-feira.

As eleições regionais têm de ser realizadas antes do final do atual ano legislativo e estavam inicialmente previstas para fevereiro de 2025. As eleições regionais catalãs de 2017 foram realizadas em dezembro, enquanto as de 2021 foram realizadas em fevereiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Puigdemont investigado por terrorismo

Festa de San Fermin: sete corredores hospitalizados no penúltimo dia da corrida de touros

Turismo de massas em Espanha: as Ilhas Baleares estão a afogar-se?