EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Olaf Scholz alerta para o crescimento da direita na Europa

Olaf Scholz
Olaf Scholz Direitos de autor Andreea Alexandru/AP
Direitos de autor Andreea Alexandru/AP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O chanceler alemão destacou num encontro socialista na Roménia antes das eleições europeias de Junho o alarmante crescimento da direita e da extrema-direita.

PUBLICIDADE

Scholz chegou a Bucareste, capital da Roménia, para participar numa conferência do Partido Socialista Europeu, que faz parte do Grupo dos Socialistas e Democratas, o segundo maior do Parlamento Europeu. Os eleitores dos 27 Estados-Membros da UE vão às urnas de 6 a 9 de Junho.

"Os populistas de direita estão realizando campanhas eleitorais contra nossa Europa unida", disse o líder alemão no Palácio do Parlamento, que acolheu a conferência. " Estão dispostos a destruir o que construímos para as crianças; estão a agitar o sentimento contra os refugiados e as minorias".

As sondagens de opinião indicam uma viragem significativa para a direita nas próximas eleições, com o grupo de direita radical Identidade e Democracia a ganhar provavelmente lugares suficientes para se tornar o terceiro maior grupo da legislatura, principalmente à custa dos Verdes e do grupo centrista Renovar Europa.

Scholz disse que uma UE próspera capaz de "fazer as coisas" é "a melhor resposta ao populismo e aos autocratas". Também prometeu continuar a apoiar a Ucrânia, dizendo que é "a chave para restaurar a paz na Europa."

Olaf Scholz lidera uma impopular coalizão tripartida. As últimas sondagens nacionais colocam o seu partido de centro-esquerda muito atrás do principal bloco de oposição de centro-direita da Alemanha e, na melhor das hipóteses, aproximadamente ao mesmo nível que o partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha.

Estes partidos "sós" representam uma ameaça para o projecto socialista europeu

A Presidente dos socialistas e democratas, Iratxe García Pérez, também abordou a questão do aumento do populismo nas eleições de junho, afirmando que esses partidos "só representam uma ameaça para o nosso projeto europeu".

A reunião teve lugar depois de o maior partido político da UE, o Partido Popular Europeu, de centro-direita, se ter reunido também em Bucareste no mês passado, onde seus representantes apoiaram a candidatura de Ursula von der Leyen para um segundo mandato de cinco anos à frente da poderosa Comissão do bloco.

Nicolas Schmit, Comissário para o Emprego e os Direitos Sociais, foi eleito o principal candidato dos Socialistas e Democratas ao mais alto cargo de Bruxelas.

O próximo Presidente da Comissão precisará da aprovação dos líderes de todos os Estados-Membros da UE. Quase metade dos 27 dirigentes nacionais da UE são membros do Partido Popular Europeu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Von der Leyen: "A despesa europeia com a defesa tem de ser acelerada"

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico

Eleições europeias: O que é que os eleitores querem e o que é que os candidatos prometem?