EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Kremlin diz que ataque à central nuclear de Zaporíjia é "provocação perigosa" da Ucrânia

Central nuclear de Zaporíjia na Ucrânia
Central nuclear de Zaporíjia na Ucrânia Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Agência Internacional de Energia Atómica dá conta da morte de uma pessoa após as explosões. Diretor do organismo realça que ninguém tira benefícios políticos e militares de ataques contra instalações nucleares. Kiev recusa envolvimento.

PUBLICIDADE

A Agência Internacional de Energia Atómica das Nações Unidas alerta que ataques como o de domingo à central de Zaporíjia podem levar a uma catástrofe nuclear

O diretor do organismo ressalvou na rede social X que os estragos na unidade 6 não comprometeram a segurança nuclear, mas salienta que se trata de um "incidente grave", capaz de comprometer a integridade do reator.

Rafael Grossi acrescenta que uma pessoa morreu após as explosões. Sublinha que ninguém tira beneficios politicos ou militares de ofensivas contra instalações nucleares e, por isso, pede que ataques como o de domingo terminem imediatamente.

A Ucrânia já veio negar qualquer envolvimento no ocorrido. Mas, esta segunda-feira, o porta-voz do Kremlin referiu que o ataque à central nuclear de Zaporíjua é uma "provocação perigosa" que pode ter consequências negativas.

"É uma provocação muito perigosa. Os funcionários da Agência Internacional para a Energia Atómica tiveram oportunidade de testemunhar estes ataques. É uma prática muito perigosa com consequências muito más. O regime de Kiev continua a sua atividade terrorista", sublinhou Dmitry Peskov.

Central sob ocupação russa desde março de 2022

A Ucrânia e a Rússia têm partilhado acusações de ataques à central, que se encontra próxima das linhas da frente.

A empresa russa de energia nuclear Rosatom acusou este domingo os militares ucranianos de terem lançado ataques com drones contra a central.

A Ucrânia negou qualquer envolvimento no incidente e sugeriu que a Rússia simulou o ataque.

"A Ucrânia não está envolvida em qualquer tipo de provocações armadas no território da central nuclear de Zaporíjia, ilegalmente ocupada pela Rússia", afirmou Andriy Yusov, porta-voz dos serviços secretos da Ucrânia.

"Os ataques russos, incluindo os de imitação, no território da central nuclear ucraniana são, desde há muito, uma prática criminosa bem conhecida dos invasores", adiantou.

Quando a guerra começou, em fevereiro de 2022, uma das seis unidades de reatores da central foi encerrada para manutenção. Depois de as forças russas terem tomado o controlo da central, os trabalhadores ucranianos encerraram as restantes unidades.

Os seis reactores da central estão desligados há meses, mas a central continua a necessitar de energia e de pessoal qualificado para operar os sistemas de refrigeração cruciais e outros dispositivos de segurança.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataques em Zaporíjia: "Estamos perigosamente perto de um acidente nuclear"

Greenpeace questiona independência da Agência Internacional de Energia Atómica em Zaporíjia

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa