EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Húngaros céticos e divididos quanto ao potencial de mudança das eleições europeias

Viktor Orbán
Viktor Orbán Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Euronews falou com eleitores húngaros que não acreditam que as eleições para o Parlamento Europeu tragam mudanças significativas.

PUBLICIDADE

Os eleitores húngaros estão divididos sobre o potencial de mudança das eleições europeias.

Os meios de comunicação social do Estado dominam a campanha eleitoral e aqueles que não sentem necessidade de se informarem através de outras fontes, ou que não têm essa possibilidade, formam assim a sua opinião sobre as instituições europeias.

A Euronews falou com alguns eleitores húngaros no sul do país, que admitiram ceticismo e até algum desinteresse com as eleições para o Parlamento Europeu.

"É preciso formar uma opinião, é preciso discuti-la em casa, mas não é assim que funciona, não é um circo em que se põe um cartaz em cada árvore e está tudo bem, porque é o que toda a gente diz", atira um húngaro que aceitou falar com a Euronews. 

"Há aqui muita gente que não vai votar, e eu já falei com muita gente que também não vai votar. Porque não? Não querem saber, dizem que votar não vai trazer mudanças de qualquer forma", diz outra eleitora. 

Entre os mais jovens, também há quem não esconda o desinteresse com as eleições europeias. Mas a opinião não é unânime: entre os mais velhos, há quem acredite que este ato eleitoral é uma oportunidade para refletir sobre a postura da Hungria na União Europeia. "Neste momento, estamos com os pés de fora", admite um dos húngaros entrevistados pela Euronews.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Hungria: eleições europeias e autárquicas marcadas para 9 de junho

Oposição na Hungria apela à realização de eleições antecipadas

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán