EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Novo aeroporto em Alcochete vai chamar-se Luís de Camões e Alta Velocidade está a caminho

O primeiro-ministro comunicou a decisão ao país no final do Conselho de Ministros desta terça-feira
O primeiro-ministro comunicou a decisão ao país no final do Conselho de Ministros desta terça-feira Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O executivo de Luís Montenegro espera que as obras propostas fiquem prontas no prazo de 10 anos. O investimento no aeroporto vai superar os 6 mil milhões de euros.

PUBLICIDADE

O novo aeroporto internacional de Lisboa vai ser construído no Campo de Tiro de Alcochete e terá o nome de Aeroporto Luís de Camões.  Já o atual Aeroporto Humberto Delgado, na Portela, será encerrado, a prazo.

A decisão, anunciada 52 anos depois do primeiro estudo para o novo aeroporto de Lisboa e que já considerava Alcochete, foi confirmada pelo Governo esta terça-feira, após a reunião de Conselho de Ministros, e está em linha com a recomendação da Comissão Técnica Independente (CTI) criada pelo anterior executivo de António Costa para avaliar o aumento da capacidade aeroportuária da região de Lisboa. 

O Governo assume o aeroporto único como a solução mais adequada aos interesses do país. Alcochete garante margem de expansão física, acomodação de procura até praticamente o triplo da atual, salvaguarda da manutenção e crescimento possível do hub da TAP em Portugal
Luís Montenegro
Primeiro-ministro

Para trás ficaram outras opções estudadas: Vendas Novas, Portela+Alcochete, Portela+Vendas Novas, Portela+Montijo, Montijo+Portela, Santarém e Portela+Santarém.

O governo aprovou ainda outras duas resoluções de Conselho de Ministros para que se construam simultaneamente novas acessibilidades como a Terceira Travessia do Tejo (TTT), entre Chelas e o Barreiro e que deverá ser rodoferroviária,e a Alta Velocidade Lisboa-Madrid, com o objetivo de um tempo de viagem entre as duas capitais em três horas ou menos.

Estas infraestruturas trarão mais comodidade aos portugueses e aos que nos visitam. Estas decisões estimulam a competitividade da nossa economia, aceleram a capacidade de investimento e crescimento, e promovem também a coesão territorial
Luís Montenegro
Primeiro-ministro

O executivo de Luís Montenegro espera ter as obras concluídas em 10 anos, sendo que  se estima um investimento de cerca de 3,5 mil milhões de euros na terceira travessia e TGV e mais de 6 mil milhões de euros no novo aeroporto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha recusou autorização para escala a navio que transportava armas para Israel

Vitória socialista nas eleições catalãs põe fim ao domínio pró-independência

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid