EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Zona euro recupera para níveis anteriores à crise de 2008

Zona euro recupera para níveis anteriores à crise de 2008
Direitos de autor 
De  Marco Lemos com EUROSTAT, REUTERS, JORNAL DE NEGóCIOS, ECONóMICO, EL PAIS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro cresceu mais do que o esperado no primeiro trimestre e pela primeira vez atingiu níveis anteriores à crise de 2008.

PUBLICIDADE

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro cresceu mais do que o esperado no primeiro trimestre e pela primeira vez atingiu níveis anteriores à crise de 2008.

Segundo a estimativa do Eurostat, no primeiro trimestre, o PIB avançou 0,6% em relação ao período imediatamente anterior e 1,6% em termos homólogos para praticamente 2,48 biliões de euros, acima do registado no primeiro trimestre de 2008 imediatamente antes da crise.

La eurozona crece el 0,6% en el primer trimestre y recupera el PIB previo a la Gran Recesión tras ocho años https://t.co/3fHFJk6JaH

— EL PAÍS (@el_pais) April 29, 2016

O crescimento no conjunto da União Europeia foi de 1,7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Ainda em março, o desemprego caiu na zona euro para 10,2%, o valor mais baixo desde agosto de 2011. Na União Europeia, a taxa também baixou para fixar-se em 8,8%, o melhor resultado dos últimos sete anos.

Em Portugal, a taxa de desemprego caiu para 11,8%, em março, face a 12,2% no mês anterior e aos 13% registados um ano antes.

Em termos mensais, o desemprego jovem subiu de 30,2% para 30,7% em março, mas ficou bem abaixo dos 32,4% registados em março de 2015.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico

Comissão Europeia prevê descida da inflação apesar do aumento do preço do petróleo

Habitação na Europa: é maior o número de proprietários ou de arrendatários?