Reino Unido: Libra em queda após declarações de May sobre Brexit mais "duro"

Reino Unido: Libra em queda após declarações de May sobre Brexit mais "duro"
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os investidores não gostaram de ouvir as declarações de Theresa May sobre o Brexit e o resultado foi uma queda imediata da libra estrelina.

PUBLICIDADE

Os investidores não gostaram de ouvir as declarações de Theresa May sobre o Brexit e o resultado foi uma queda imediata da libra estrelina. A moeda do Reino Unido vive a pior sessão deste ano: durante a manhã desta segunda feira estava cotada a 1,15 euros, menos 0,97% do que no final da semana passada e a 1,214 dólares, menos 1,16% do que na sexta-feira.

Numa entrevista à Sky News no domingo, a primeira-ministra britânica assegurou que o Reino Unido vai “abandonar” a União Europeia e não ser possível manter “pedaços” do acordo atual. Ou seja, o Governo deve optar por um Brexit duro, que implique a saída do mercado único.

Theresa May tells Sky News that 2017 will be a year of change https://t.co/dHRrS1i72u

— Sky News (@SkyNews) 8 de janeiro de 2017

Já esta segunda-feira, Theresa May, questionada sobre o impacto desta entrevista…clarificou o que defende e garantiu que não aceita que “exista um Brexit mais leve ou mais pesado. Estamos a tentar chegar a um acordo ambicioso, o melhor possível para o Reino Unido no que diz respeito ao acesso ao mercado único europeu”.

Mas dos setores empresarial e financeiro britânicos vêm mensagens de alguma cautela: pedem que mesmo depois do Brexit, o país consiga manter pelo menos algumas das vantagens que o mercado único oferece.

Theresa May still refuses to define Brexit https://t.co/QOom21oyUj

— Sky News (@SkyNews) 8 de janeiro de 2017

Recorde-se que a libra perdeu cerca de 18% face ao dólar e 10% face ao euro desde o referendo de 23 de junho, no qual 52%, contra 48%, dos britânicos votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Quem são as GRANOLAS? Um olhar sobre os "Magnificent Eleven" da Europa

2023: O ano das grandes falências

Os drones iranianos podem ameaçar o petróleo europeu?