EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Brexit pode custar caro ao Reino Unido

Brexit pode custar caro ao Reino Unido
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico prevê um crescimento menor do que o esperado para 2017 e 2018, no Reino Unido.

PUBLICIDADE

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico prevê um crescimento menor do que o esperado para 2017 e 2018, no Reino Unido, devido à incerteza relativa ao resultado das negociações para a saída do país da União Europeia. O crescimento do PIB deverá diminuir, ligeiramente, para 1,6%, em 2017. A quebra será maior em 2018, ano não deverá ir além do 1%.

A incerteza deverá prejudicar o investimento. O consumo deverá também diminuir, devido à combinação entre o enfraquecimento do mercado de trabalho e a inflação, que deverá aumentar. O organismo prevê também que o crescimento dos salários reais sofra um abrandamento:

“Esse é um cenário possível, na ausência de políticas. É algo que devemos evitar. É preciso que se aja. É preciso apostar numa maior produtividade, acelerando o crescimento do comércio e do investimento, mas também analisar as capacidades da força de trabalho”, adianta Angel Gurría, Secretário-geral da OCDE.

Sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o responsável da OCDE não tem dúvidas:

“Foi inesperada, chocante, talvez mais para os britânicos que para os europeus. Vai sair caro. Vai ter um custo que não estava lá, que não devia existir. Eu acho que vai sair mais caro aos britânicos”, acrescenta Gurría.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico

Comissão Europeia prevê descida da inflação apesar do aumento do preço do petróleo

Habitação na Europa: é maior o número de proprietários ou de arrendatários?