EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Projeto do gasoduto Nord Stream 2 divide Rússia e Europa

Projeto do gasoduto Nord Stream 2 divide Rússia e Europa
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O custo da obra está estimado em 10 mil milhões de euros e o arranque está previsto para julho.

PUBLICIDADE

O projeto do gasoduto Nord Stream 2 promete fazer chegar o gás russo até ao continente europeu. No entanto, as promessas são tão grandes quanto as dúvidas e a resistência que o plano está a gerar na Europa e até nos Estados Unidos.

O arranque da obra está previsto para julho e a sua conclusão para meados de 2019, mas há cada vez mais pressões para colocar um travão, algo que mereceu críticas de Gerhard Schroeder, o antigo chanceler alemão e atual presidente do conselho de administração do consórcio Nord Stream 2.

"Ainda não ouvi uma razão racional para a resistência de Bruxelas. Parece, no entanto, diplomaticamente falando, que por trás dessa resistência estão interesses económicos específicos, interesses de alguns governos europeus, dos países vizinhos e, é claro, os interesses económicos de empresas concorrentes que estão envolvidas. E também os interesses económicos dos Estados Unidos, que muito claramente e por qualquer motivo, expressaram a sua oposição ao projeto", afirmou.

O Nord Stream 2 é um gasoduto idêntico ao original e que percorre a mesma região, saindo desta feita de Ust-Luga, na Rússia, e atravessando todo o mar Báltico até terminar em Greifswald, na Alemanha.

O projeto está orçamentado em cerca de 10 mil milhões de euros e irá dobrar a capacidade russa de exportação de gás para a Europa. Um gasoduto que terá impacto económico, mas também potencialmente político numa região já instável.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Navios russos perto do gasoduto Nord Stream antes das explosões, afirma documentário

UE medeia acordo sobre gás entre Rússia e Ucrânia

BCE mantém as taxas de juro inalteradas, uma vez que o controlo da inflação continua a ser fundamental