EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Britânicos enchem despensas

Britânicos enchem despensas
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Muitos estão a açambarcar comida e medicamentos, com medo de um Brexit sem acordo.

PUBLICIDADE

Mesmo se estamos longe de ver, nos supermercados britânicos, cenas que façam lembrar filmes sobre um apocalipse zombie ou a Terceira Guerra Mundial, a verdade é que são muitos os que estão a encher as despensas, com medo do que possa acontecer em caso de um Brexit sem acordo.

Segundo um estudo publicado esta segunda-feira, os britânicos já gastaram cerca de 4,3 mil milhões de euros a açambarcar bens e 800 mil pessoas já gastaram mais de mil euros a comprar produtos com medo que faltem depois do Brexit.

A alimentação e os medicamentos são os produtos que os britânicos mais procuram. Três em cada quatro inquiridos compraram comida extra, enquanto metade do universo comprou mais medicamentos e bebidas.

No que toca ao mercado farmacêutico, um Brexit sem acordo iria afetar também a União Europeia, já que todos os meses, 45 milhões de caixas de medicamentos são exportadas do Reino Unido para os outros Estados-membros. Alguns medicamentos podem perder a licença de venda na União Europeia.

Além disso, as tarifas alfandegárias mais altas podem também afetar não só os stocks de produtos farmacêuticos, como das matérias-primas necessárias para as produzir.

Os medos relacionados com o Brexit e a quebra económica no segundo trimestre do ano levaram a libra a um mínimo de dez anos face ao euro, na semana passada, embora esta segunda-feira a divisa britânica esteja já a recuperar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

China já reagiu a decisão de União Europeia sobre tarifas nos carros elétricos

Eleições europeias: será que a onda de extrema-direita vai pressionar o sector das energias renováveis?

Um dos maiores operadores de viagens da Europa entra em processo de insolvência