EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Boeing admite erros em congresso norte-americano

Boeing admite erros em congresso norte-americano
Direitos de autor REUTERS/Sarah Silbiger
Direitos de autor REUTERS/Sarah Silbiger
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente executivo da Boeing pediu desculpa pela morte de 346 pessoas na sequência de dois acidentes com aviões da companhia.

PUBLICIDADE

Seguido atentamente pelos os familiares das vítimas do Boeing 737 Max 8, o presidente executivo da companhia, Dennis Muilenburg, começou uma audiência de dois dias no Congresso norte-americano com um pedido de desculpas.

"Em meu nome e em nome da Boeing, sentimos muito, lamentamos profundamente", afirmou Muilenburg. Pela primeira vez, desde os acidentes, o presidente executivo admitiu os erros da empresa. "Estes acidentes foram um desafio para nós e mudaram-nos. Cometemos erros e fizemos algumas coisas mal. Estamos a melhorar. Estamos e vamos continuar a aprender", disse.

A Boeing enfrenta atualmente uma investigação, depois de, no espaço de cinco meses, 346 pessoas terem morrido na sequência da queda de dois aviões da empresa .

A 29 de outubro de 2018, caía na costa indonésia o primeiro avião 737 MAX8, vitimando fatalmente 189 pessoas. Em março deste ano, mais 157 pessoas morriam num acidente semelhante pela Ethiopian Airlines.

Desde então, todos os aviões do mesmo modelo permanecem em terra. Depois de identificadas e alegadamente corrigidas as falhas no software de controlo de voo, a Boeing acredita agora que aeronaves podem voltar a voar ainda este ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Segurança de aparelhos Boeing 737 questionada

Boeing deixa Norwegian em dificuldades

Veto a 737 Max custa mais de 4300 milhões