EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Covid-19 empurra Europa para a recessão

Covid-19 empurra Europa para a recessão
Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Rodrigo Barbosa com AFP / Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

França, Reino Unido e Portugal são alguns dos países com previsões económicas historicamente más

PUBLICIDADE

Os efeitos da pandemia de coronavírus continuam a propagar-se também pelas economias europeias, mergulhadas na recessão.

Em França, o governo anunciou esta terça-feira previsões ainda mais pessimistas para 2020, com um recuo de 8% do Produto Interno Bruto. O défice deverá crescer para cerca de 9% do PIB e a dívida pública sofrirá um aumento de 115 por cento.

Estas novas previsões surgem uma semana depois do executivo francês ter já avançado estimativas historicamente más.

Histórica é também a queda do PIB que está prevista para o Reino Unido em 2020: 13%, na eventualidade de um período de confinamento de três meses devido ao coronavírus, segundo o instituto público encarregue das previsões económicas e orçamentais do governo britânico.

A redução na atividade será, de acordo com o organismo, "bem mais elevada do que as quedas anuais registadas no fim de cada guerra mundial e durante a crise financeira" de 2008.

Em Portugal, o ministro das Finanças disse esta segunda-feira que as previsões do governo são de uma queda de 6,4% do PIB anual por cada 30 dias úteis em que a economia estiver paralizada devido à covid-19.

Mário Centeno, que é também o presidente do Eurogrupo, frisou que a resposta à crise tem de ser coordenada a nível europeu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bruxelas usa roteiro para recuperar coordenação da crise?

Donald Trump acusado de cometer "crime contra a humanidade"

Produtores belgas de batata pedem apoio público