EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Comissária Europeia da Saúde quer evitar reconfinamentos

Comissária Europeia da Saúde quer evitar reconfinamentos
Direitos de autor Francisco Seco/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Francisco Seco/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Nial O'Reilly com Ricardo Borges de Carvalho
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Numa entrevista exclusiva à Euronews, a cipriota Stella Kyriakides alerta que, mesmo se e quando houver uma vacina para a Covid-19, as pessoas terão de manter cuidados de higiene e distanciamento durante algum tempo

PUBLICIDADE

Por toda a Europa, os países parecem estar a pagar o preço de um verão que permitiu algum alívio na crise da Covid-19. Apenas alguns meses depois de os governos terem começado a flexibilizar as restrições, os casos de coronavírus estão de novo a aumentar.

Receia-se que os serviços de saúde voltem a rebentar pelas costuras. A Comissária Europeia da Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides, sublinha a importância dos governos tomarem medidas que evitem novos confinamentos nacionais. 

"Esperávamos naturalmente um aumento de casos com o reinício das viagens, do turismo e com o levantamento dos bloqueios. Isto é algo que estávamos à espera. A forma de conter isto é através do aumento dos testes, rastreio de contactos e de isolamentos, quando necessários. É de importância vital para a sociedade, para as economias, que evitemos confinamentos generalizados", explica Kyriakides.

A esperança de uma solução a longo prazo para a pandemia reside no desenvolvimento de uma vacina eficaz, o que pode demorar muitos meses. E, mesmo assim, ainda haverá desafios.

A Comissária Europeia explica que "mesmo se e quando tivermos uma vacina bem-sucedida, isto não significa que a situação da pandemia ficará resolvida no dia seguinte. Temos de manter os cuidados e tomar as nossas medidas. Os países terão de continuar com os testes e o rastreio de contactos e possivelmente fazer isolamentos quando necessário, durante algum tempo, até termos vacinado o maior número possível de pessoas".

Com o vírus a espalhar-se rapidamente, vários países europeus equacionam voltar a impor limites aos encontros sociais. A Comissária Kyriakides diz que outras medidas já tomadas, como o uso obrigatório de máscaras, podem ajudar, mas vai demorar algumas semanas até que o seu efeito seja conhecido.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eurodeputados pedem mais verbas para "União Europeia para a Saúde"

Como construir uma União Europeia da Saúde?

Inglaterra limita ajuntamentos a seis pessoas