EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Banco Central Europeu aumenta em 0,75 pontos percentuais as taxas de juro de referência

Christine Lagarde de máscara FFP2, em abril deste ano, em Hamburgo
Christine Lagarde de máscara FFP2, em abril deste ano, em Hamburgo Direitos de autor Marcus Brandt/dpa via AP
Direitos de autor Marcus Brandt/dpa via AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A crescente inflação levou o regulador financeiro da zona euro a decidir aumentar o mecanismo que lhe permite tentar controlar os preços e fê-lo de forma histórica

PUBLICIDADE

O Banco Central Europeu avança com o maior aumento das taxas de juro para combater a crescente inflação, ao agravar em 0,75 pontos percentuais o valor de referência, fixando-o em 1,25%, em linha com as políticas já seguidas pela Reserva Federal dos Estados Unidos (FED) e outros bancos centrais.

A subida anunciada foi ainda superior ao estimado em julho pela presidente do BCE, Christine Lagarde, e deve começar a ser aplicada a 14 de setembro.

O BCE reviu também as previsões de inflação para o ano corrente e admite agora que 2022 possa fechar com um agravamento dos preços na ordem dos 8,1%, antecipando desde já para 2023 uma inflação de 5,5% e de 2,3% para 2024.

O regulador financeiro da zona euro reviu, no entanto, em alta o crescimento do conjunto dos 19 países da moeda única em 2022, com uma quebra no próximo ano face ao anteriormente previsto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Inflação leva governo português a gastar 2 400 milhões de euros para ajudar as famílias

BCE ataca subida da inflação: taxas de juro sobem 0,5%

Porque é que os bancos centrais aumentam as taxas de juro para conter a inflação?