EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

AstraZeneca anuncia novo acordo para medicamento antiobesidade e lucros positivos

Instalação da AstraZeneca para medicamentos biológicos em Södertälje, a sul de Estocolmo, Suécia.
Instalação da AstraZeneca para medicamentos biológicos em Södertälje, a sul de Estocolmo, Suécia. Direitos de autor JONATHAN NACKSTRAND/AFP
Direitos de autor JONATHAN NACKSTRAND/AFP
De  Heloise UrvoyEuronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A cotação das ações da AstraZeneca subiu na quinta-feira, depois de ter anunciado um acordo de vários milhares de milhões de dólares com a empresa biofarmacêutica chinesa Eccogene para produzir um novo medicamento contra a diabetes e a obesidade.

PUBLICIDADE

Numa atualização para investidores, a AstraZeneca registou uma receita total de US $ 33.8 bilhões nos primeiros nove meses de 2023, um aumento de 5%, apesar de um declínio acentuado nas vendas de vacinas Covid-19.

"Dada a dinâmica do ano até à data, aumentámos a nossa orientação para o ano inteiro para as receitas totais, excluindo os medicamentos Covid, bem como para o Core EPS", afirmou Pascal Soriot, presidente executivo da empresa, num comunicado.

A AstraZeneca anunciou também novos planos de investimento na investigação e desenvolvimento (I&D) dos seus medicamentos contra o cancro.

Soriot referiu também o acordo assinado com a empresa farmacêutica chinesa Eccogene, para desenvolver um medicamento utilizando uma molécula específica que "poderá oferecer um avanço importante para os cerca de mil milhões de pessoas que vivem com doenças cardiometabólicas, como a diabetes tipo 2 e a obesidade".

Novo medicamento para a obesidade e a diabetes

A AstraZeneca está a pagar 185 milhões de dólares adiantados ao seu novo parceiro chinês, uma vez que o acordo abre caminho a mais I&D para um novo medicamento oral de toma única diária.

A pequena molécula em questão no acordo é conhecida como ECC5004. Funciona como um agonista dos receptores, desencadeando uma resposta biológica no cérebro ou nas células. O desenvolvimento de um medicamento oral seria um fator de mudança, uma vez que, até agora, só está disponível sob a forma de injeções.

O acordo, que foi tornado público na quinta-feira, prevê que a AstraZeneca pague 1,825 mil milhões de dólares à Eccogene "em futuras etapas clínicas, regulamentares e comerciais".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Elon Musk obtém apoio dos acionistas para um pacote salarial de 52 mil milhões de euros

China já reagiu a decisão de União Europeia sobre tarifas nos carros elétricos

Eleições europeias: será que a onda de extrema-direita vai pressionar o sector das energias renováveis?