EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

A menina afegã que queria ser rapper e escapou ao casamento forçado

A menina afegã que queria ser rapper e escapou ao casamento forçado
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O sonho de Sonita Alizadeh era tornar-se na primeira mulher rapper do Afeganistão, mas, aos dez anos, os pais tentaram forçá-la a casar-se.

PUBLICIDADE

O sonho de Sonita Alizadeh era tornar-se na primeira mulher rapper do Afeganistão, mas, aos dez anos, os pais tentaram forçá-la a casar-se.

A história da jovem afegã de 19 anos é contada num documentário da realizadora afegã Rokhsareh Ghaem Maghami.

A obra venceu recentemente o prémio do Público no Festival de Documentário de Amesterdão.

“A minha mãe tentou obrigar-me a casar, isso não significa que não gostasse de mim. Mas ela não sabia fazer melhor. Estava limitada pela tradição e pela pobreza. Graças às minhas canções ela percebeu o que eu sentia. Enquanto mulher posso fazer algo e construir o meu futuro”, afirmou Sonita Alizadeh.

Inicialmente, a realizadora afegã queria apenas contar a história de uma jovem com talento e ambição. Mas, Rokhsareh Ghaem Maghami foi obrigada a alterar o projeto e a pagar dois mil euros à mãe de Sonita para evitar um casamento forçado.

“O maior desafio deste documentário foi a mãe, ela queria levar a filha. É um problema recorrente quando queremos ajudar alguém. A questão é: o que vai acontecer ao filme? E o que acontece se não ajudarmos a pessoa? Não podia ficar quieta e deixar que a levassem”, contou a realizadora Rokhsareh Ghaem Maghami.

Em 2014, Sonita publicou um vídeo na Internet, “Brides for Sail”, para denunciar os casamentos forçados de crianças. A jovem afegã vive atualmente nos Estados Unidos onde estuda música graças a uma bolsa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os grandes filmes dos Prémios do Cinema Europeu 2023

Monica Bellucci leva Maria Callas ao Festival de Cinema de Salónica

Realizador alemão Wim Wenders recebe Prémio Lumière em Lyon