"The Dancing Queens": Dançar para mudar mentalidades

"The Dancing Queens": Dançar para mudar mentalidades
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

“The Dancing Queens” é a companhia transexual de dança mais famosa da Índia. Baseada em Bombaim, a companhia usa a dança para defender os direitos

PUBLICIDADE

“The Dancing Queens” é a companhia transexual de dança mais famosa da Índia. Baseada em Bombaim, a companhia usa a dança para defender os direitos dos transexuais.

Entre danças tradicionais e sucessos de Bollywood, a companhia mostram como é viver na Índia quando se é diferente. Mostra-se a luta pela aceitação, depois do Supremo Tribunal ter reconhecido a transexualidade como terceiro género em 2014.

E mesmo se a Índia é um dos poucos países a reconhecer legalmente mais de dois sexos, a comunidade transexual continua a ser discriminada numa sociedade conservadora.

Urmi Jadhav, ativista transexual e cofundadora de “The Dancing Queens” defende: “Cada passo é uma luta. Pode-se usar um sari mas não se é uma verdadeira mulher. Somos considerados terceiro género. Não é fácil preservar a nossa identidade, aquilo que somos, não é fácil avançar e enfrentar tanta discriminação”.

Para lá da discriminação, há também a violência. “The Dancing Queens” mostra em palco o assédio sexual e a violência que a comunidade vive no quotidiano, incluindo a nível profissional.

De acordo com a Abhina Aher, dirigente da companhia e ativista, “a violência aumentou com o tempo, mas as oportunidades de emprego não. A decisão do Supremo Tribunal é apenas sobre documentos, não se traduziu em ação”.

O Godrej India Culture Lab é um espaço experimental que fomenta a reflexão sobre uma Índia moderna. Através deste espaço, a companhia de dança organiza eventos para debater o tema da sexualidade.

Parmesh Shahani, fundador do Godrej India Culture Lab, evoca uma mudança gradual das mentalidades: “Acho que em breve haverá uma série de mudanças. Os funcionários homossexuais, bissexuais e transgéneros (LGTB) revelam-se no emprego, as empresas como a nossa criam estes espaços. Em breve haverá mais pessoas LGTB no mercado do trabalho. Essa mudança está em marcha”.

“The Dancing Queens” foi criada inicialmente para a Gay Pride de Bombaim em 2009. Hoje continua a tentar quebrar barreiras com coreografias sensíveis. O objetivo é promover a luta pelo direito de se ser diferente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estilista saudita Reem al Kanhal reinventa vestidos árabes tradicionais

Banda sonora da Guerra das Estrelas em 3D

Novas séries de televisão apresentadas no Festival de Monte Carlo