This content is not available in your region

Balkan Trafic está de regresso com o mosaico musical dos Balcãs

euronews_icons_loading
Balkan Trafic está de regresso com o mosaico musical dos Balcãs
Direitos de autor  euronews
De  Frédéric Ponsard  & Euronews

A Bélgica vai receber, de 28 de abril a 1 de maio, o Balkan Trafik, um festival realizado desde 2006 e pioneiro das culturas e da música balcânicas.

Especialmente criada para o evento, a banda Balkan Jazzovic vai reuniros artistas de jazz mais famosos dos Balcãs e da Bélgica, mas outras influências prometem marcar o festival e o público.

Pelas estradas da Sérvia com os organizadores, a Euronews foi descobrir as bandas e os músicos da edição deste ano, nas fronteiras da Sérvia, Bulgária, Kosovo e Macedónia do Norte, um percurso pelosudeste europeu, largamente desconhecido e que para alguns parece ainda muito distante.

Música de coração cigano

A comunidade cigana é o elo de ligação entre todas as comunidades da região, para casamentos, funerais e todas as ocasiões de celebração.

Há muitas bandas de metais, as melhores atuam dão concertos além fronteiras.

No Balkan Trafik, este ano, vão estar vários grupos de renome internacional, incluindo a Orquestra Kadrievi, da vizinha Macedónia do Norte.

Orquestra Kadrievi vão tocar no Balkan Trafik, na Bélgica

O músico Masar Jarasov-Kadriev conta que a fama mundial chegou com a participação no filme “O Tempo dos Ciganos”, do Emir Kusturica, onde tocaram a música de Goran Bregović.

Dizem fazer parte da "quinta geração de músicos" ciganos. Poder partilhar o seu legado num festival é algo que deixa o cantor Rufat Selim Rocky orgulhoso. 

"Somos ciganos, orgulhosos de cantar em todas as línguas: romeno, sérvio, canções macedónias. Somos uma família e temos muito orgulho em tocar no Balkan Traffic com a Orquestra Kadrievi", afirma.

A influência dos Balcãs é uma condição assumida, um mosaico de influências culturais e musicais, de que também. o compositor e músico Goran Bregović não foge.

"Cada arte é uma mistura. É uma coisa inevitável, especialmente para quem nasce aqui onde durante cinco séculos existiu uma fronteira entre ortodoxos, católicos e muçulmanos. Como compositor, já estou com este "Frankenstein" musical. A função da Orquestra de Metais dos Balcãs não é apenas fazer música, mas também fazer a festa".

As ciganas também cantam

Em Bruxelas, conhecemos as Pretty Loud, a primeira banda de raparigas ciganas, que luta contra a violência contra as mulheres, pelo respeito dos seus direitos, emancipação e igualdade de género.

"Ravnopravno", das Pretty Loud, fala sobre a violência contra as mulheres

Silvia Sinani tem 24 anos e, além de dar aulas de dança, pertence ao grupo. Como mulher cigana reconhece o papel que tem a desempenhar numa mudança social ainda por alcançar.

"O Patriarcado ainda está presente na comunidade cigana, mas a jovem geração cigana quer mudanças, e nós fazemos parte dela. Queremos mudança, e queremos que cada mulher seja independente e tome as suas próprias decisões".