"Triângulo da Tristeza" arrebata Prémios do Cinema Europeu

 Ruben Östlund entrevistado pela euronews
Ruben Östlund entrevistado pela euronews   -   Direitos de autor  Euronews
De  euronews

A capital da Islândia engalanou-se para receber a 35ª edição dos Prémios do Cinema Europeu.

A competição foi feroz em Reiquiavique, no entanto houve um filme que sobressaiu...

A Academia Europeia de Cinema elegeu "Triângulo da Tristeza" como o Melhor Filme de 2022.

A comédia satírica do realizador sueco Ruben Östlund, que já ganhara a Palma de Ouro no Festival de Cannes, venceu também nas categorias de guião, melhor realizador - ambos para Östlund e melhor ator, para Zlatko Burić.

"Triângulo da Tristeza" conta a história de uma viagem de um cruzeiro que acaba num naufrágio... A bordo, manequins, oligarcas russos capitalistas, marxistas alcoólicos, influenciadores ou traficantes de armas...

"Um dos professores com quem eu trabalhava, era o meu mentor, mas era meu professor quando eu estava na universidade. Alguém lhe perguntou: "Poderá o cinema mudar o mundo?". Ele respondeu "Sim, mas todos os filmes estão a mudar o mundo". Portanto, é sobre a competição para obter a maior atenção, e este prémio é obviamente uma forma de obter muita atenção e aumentar os números nas salas de cinema, fazendo com que mais pessoas olhem para o filme. Portanto, se tiveres uma mensagem, e achares que é importante, isso é uma coisa boa pela qual se lutar", refere o realizador sueco Ruben Östlund.

O jornalista da euronews, Frédéric Ponsard , relata: "A Islândia e Reiquiavique ofereceram ao cinema europeu o mais belo dos cenários, com uma cerimónia internacional de alto nível que mostrou toda a sua riqueza e diversidade. No entanto, foi um filme que arrebatou quase tudo: 'Triângulo da Tristeza'. Um belo exemplo de coprodução europeia que reuniu Suécia, Alemanha, França, Grécia, Turquia, Dinamarca e o Reino Unido".

Os Prémios:

FILME

"Triângulo da Tristeza", de Ruben Ôstlund (Suécia)

REALIZAÇÃO

Ruben Ôstlund por "Triângulo da Tristeza"

ATOR

Zlatko Burić por "Triângulo da Tristeza"

ATRIZ

Vicky Krieps por "Corsage - Espírito Inquieto" (Áustria)

GUIÃO

"Triângulo da Tristeza"

DOCUMENTÁRIO 

"Mariupolis 2", de Mantas Kvedaravicius (Lituânia)

COMÉDIA

"O Bom Patrão", de Fernando León de Aranoa (Espanha)

LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

"Interdito a Cães e Italianos", de Alain Ughetto (França)

DESCOBERTA - PRÉMIO FIPRESCI

"Piccolo Corpo", de Laura Samani (Itália)

CURTA-METRAGEM

"Granny's Sexual Life", de Urška Djukič & Émilie Pigeard (Eslovénia)