Morte de Matthew Perry deveu-se ao abuso de cetamina, diz autópsia

Matthew Perry posa para um retrato a 17 de fevereiro de 2015, em Nova Iorque.
Matthew Perry posa para um retrato a 17 de fevereiro de 2015, em Nova Iorque. Direitos de autor Brian Ach/Invision/AP
De  Tokunbo SalakoAP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Uma segunda autópsia realizada pelos médicos legistas de Los Angeles confirmou que a morte do ator da série "Friends", de 54 anos, foi um acidente causado pelo abuso da cetamina.

PUBLICIDADE

O ator norte-americano Matthew Perry morreu acidentalmente em consequência dos "efeitos agudos da cetamina" e afogou-se, segundo a autópsia efetuada pelas autoridades de Los Angeles.

A estrela de Friends foi encontrada morta a 28 de outubro na "extremidade aquecida da piscina" da sua casa na zona de Pacific Palisades, mas a autópsia realizada no dia seguinte foi inconclusiva.

Pessoas próximas de Perry disseram aos investigadores que ele estava a ser submetido a uma terapia de infusão de cetamina, um tratamento experimental utilizado para tratar a depressão e a ansiedade. Mas o médico legista de Los Angeles disse que os níveis de cetamina no corpo de Perry estavam na faixa usada para anestesia geral durante uma cirurgia e que seu último tratamento, uma semana e meia antes, não explicaria esses níveis. A droga é normalmente metabolizada numa questão de horas.

O relatório diz que a doença arterial coronária e a buprenorfina, que é usada para tratar a dependência dos opiáceos, também contribuíram.

A quantidade de cetamina detetada "seria suficiente para o fazer perder a consciência e perder a postura e a capacidade de se manter acima da água", disse Andrew Stolbach, um toxicologista médico da Johns Hopkins Medicine que analisou o relatório da autópsia a pedido da Associated Press.

"Usar drogas sedativas numa piscina ou banheira de hidromassagem, especialmente quando se está sozinho, é extremamente arriscado e, infelizmente, neste caso foi fatal", disse Stolbach, que observou que tanto a cetamina como a buprenorfina podem ser usadas com segurança.

Limpo há 19 anos

O ator tinha consumido drogas no passado, mas estava "alegadamente limpo há 19 meses", de acordo com o relatório.

Perry tinha jogado pickleball no início do dia, diz o relatório, e o seu assistente, que vive com ele, encontrou-o de bruços na piscina depois de regressar de recados.

A assistente disse aos investigadores que Perry não tinha estado doente, não tinha feito quaisquer queixas de saúde e não tinha mostrado indícios de consumo recente de álcool ou drogas.

As análises sanguíneas post mortem revelaram "níveis elevados" de cetamina no seu organismo, o que pode ter feito subir a tensão arterial e o ritmo cardíaco e entorpecido o impulso para respirar.

A buprenorfina, normalmente utilizada na dependência de opiáceos e encontrada em níveis terapêuticos no sangue de Perry, pode ter contribuído para o problema respiratório, segundo a autópsia. Teria sido arriscado misturar o depressor do sistema nervoso central com a cetamina "devido aos efeitos respiratórios aditivos quando presente com níveis elevados de cetamina", segundo o relatório da autópsia.

O relatório refere ainda que a sua doença coronária o teria tornado mais suscetível aos efeitos da droga.

Fenómeno cultural

Perry esteve entre as maiores estrelas da televisão da sua geração quando interpretou Chandler Bing ao lado de Jennifer Aniston, Courteney Cox, Lisa Kudrow, Matt LeBlanc e David Schwimmer durante 10 temporadas, de 1994 a 2004, na sitcom de grande sucesso Friends.

A makeshift memorial for Matthew Perry is seen outside the building shown in exterior shots of the television show "Friends"
A makeshift memorial for Matthew Perry is seen outside the building shown in exterior shots of the television show "Friends"Charles Sykes/Invision

Os colegas de elenco, tal como muitos dos amigos, familiares e fãs, ficaram chocados com a sua morte e prestaram-lhe uma homenagem carinhosa nas semanas que se seguiram.

Perry falou abertamente sobre a sua luta contra a toxicodependência desde o tempo de Friends.

"Adorava tudo o que se passava no programa, mas debatia-me com os meus vícios, o que só aumentava o meu sentimento de vergonha", escreveu no seu livro de memórias de 2022. "Eu tinha um segredo e ninguém podia saber."

Uma mulher cujo nome é redigido no relatório da autópsia disse aos investigadores que Perry estava de bom humor quando tinha falado com ele alguns dias antes, mas tomava injeções de testosterona que, segundo ela, o deixavam "zangado e mau". Disse ainda que ele tinha deixado de fumar duas semanas antes.

A mulher disse que ele estava a receber as infusões de cetamina para a sua saúde mental e que o médico as estava a administrar com menos frequência porque ele se estava a sentir bem.

PUBLICIDADE

A cetamina é um poderoso anestésico aprovado pelos reguladores de saúde dos EUA para utilização em cirurgia, mas na última década surgiu como um tratamento experimental para uma série de doenças psiquiátricas e de difícil tratamento, incluindo depressão, ansiedade e dor crónica.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Friends: 'The One Where The Laughter Stops' - Como vou recordar Matthew Perry

Martin Scorsese recebeu Urso de Ouro honorário na Berlinale

Ridley Scott pode realizar filme biográfico dos Bee Gees