This content is not available in your region

Árvores ou máquinas: quem vai salvar o planeta? Saiba em 2 minutos

euronews_icons_loading
Árvores ou máquinas: quem vai salvar o planeta? Saiba em 2 minutos
Direitos de autor  euronews
De  Jeremy Wilks & Euronews

Os cientistas dizem que se quisermos abrandar o aquecimento global, vamos ter de retirar milhares de milhões de toneladas de CO2 da atmosfera. Mas a solução passa por plantar mais árvores ou usar máquinas?

Comecemos com as máquinas.

Na Islândia, uma fábrica da empresa suíça ClimeWorks trabalha na sucção de dióxido de carbono (CO2) para fora da atmosfera.

As máquinas utilizam energia geotérmica renovável e o CO2 é bombeado para o subsolo acabando por se transforma em rocha. Mas a nova tecnologia é dispendiosa.

A construção das instalações para demonstração custou 10 milhões de euros, e permite capturar 4.000 toneladas de CO2 por ano. Isso equivale a 2500 euros por tonelada.

Apesar do custo, a fábrica tem muito apoio político e empresarial. Se for aumentada, o preço pode cair para os 150 euros por tonelada.

Muitos ambientalistas não gostam da tecnologia de captura de carbono industrial e argumentam que deveríamos plantar apenas árvores, que, no fundo, funcionam como máquinas naturais de captura de carbono.

Mas serão necessárias muitas para compensar as nossas emissões.

Uma árvore média contém cerca de uma tonelada de CO2 e a Europa emite em média cinco a sete toneladas de CO2 por ano.

Por isso, começando agora, seria necessário que plantasse cinco a sete árvores, por ano, durante o resto da vida, para compensar as suas emissões.

Será que temos terra suficiente para essas árvores? Na verdade, não, pelo menos se também quisermos cultivar alimentos.

De facto, aqueles que promovem a silvicultura responsável dizem que a plantação de árvores tem de ser vista como uma espécie de opção complementar, quando a redução de emissões tiver sido maximizada.

“Quando esgotamos todas as opções de redução e fixação de emissões, as árvores serão um grande aliado”, afirma Diego Florian, da organização de certificação ambiental, FSC Itália.

Portanto, precisamos tanto de árvores como de máquinas, mas acima de tudo de reduzir a procura de energia e mudar para energia limpa.