Televisões francesas acrescentam contexto de alterações climáticas nas previsões meteorológicas

Ponte Alexandre III num dia de nevoeiro em Paris
Ponte Alexandre III num dia de nevoeiro em Paris Direitos de autor Ludovic MARIN / AFP
De  Euronews com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Nos últimos meses, em resposta à emergência climática, muitos meios de comunicação social em França e em todo o mundo comprometeram-se a lidar com esta questão de forma mais eficaz

PUBLICIDADE

Os boletins meteorológicos de dois canais de televisão franceses - France 2 e France 3 - serão transformados, a partir de segunda-feira, em "boletins meteorológicos e climáticos".

O objetivo é "explicar a meteorologia de forma diferente, não só para dizer: 'Vai fazer sol amanhã ou vai chover', mas para explicar porquê", disse o diretor de notícias do grupo público France Télévisions, Alexandre Kara, à AFP. 

Que informações climáticas serão acrescentadas às previsões meteorológicas?

Para além da apresentação clássica do tempo. "Haverá números, dados, podemos falar , por exemplo, sobre anomalias de temperatura, sobre a questão dos lençóis freáticos, ou mesmo explicar a seca do Inverno", sublinhou Kara.

Inicialmente, esta informação adicional será fornecida principalmente nos boletins meteorológicos noturnos da France 2 e France 3. As durações dos boletins serão prolongadas por um minuto e meio e dois minutos, respetivamente. O sistema poderá ser alargado aos boletins diurnos. 

VALERY HACHE/AFP
NiceVALERY HACHE/AFP

Kara explicou que ter em conta as questões climáticas é  "um eixo estratégico" para a France Télévisions como um todo, salientando que já estão presentes na "oferta noticiosa".

Estas preocupações irão também influenciar a organização interna do grupo. Exceto em casos extremos, não haverá utilização de aviões dentro do território francês. 

Da mesma forma, todos jornalistas terão uma formação sobre o clima e a ênfase será colocada na poupança de energia.

Nos últimos meses, em resposta à emergência climática, muitos meios de comunicação social em França e em todo o mundo comprometeram-se a lidar com estas questões de forma mais eficaz.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cientistas preveem regresso do fenómeno climático "El Niño" em 2023

2022, o quinto ano mais quente no mundo

Zara, H&M: gigantes europeus do retalho ligados à usurpação de terras e à desflorestação no Brasil