Supervulcão italiano entrou em erupção pela última vez em 1538. Estará prestes a explodir novamente?

O vulcão entrou em erupção pela última vez em 1538
O vulcão entrou em erupção pela última vez em 1538 Direitos de autor Tetiana Grypachevska
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O vulcão entrou em erupção pela última vez em 1538, mas o risco de nova erupção é agora maior do que nunca.

PUBLICIDADE

Um vulcão em Itália, numa região onde vive meio milhão de pessoas, está cada vez mais perto de entrar em erupção, de acordo com um novo estudo.

O supervulcão Campi Flegrei, perto de Nápoles, encontra-se num estado "extremamente perigoso", de acordo com Stefano Carlino, coautor do estudo.

O vulcão entrou em erupção pela última vez em 1538, mas atualmente o risco de rutura é maior do que nunca.

As autoridades locais têm um plano de evacuação estabelecido e os níveis de risco são revistos mensalmente.

O vulcão Campi Flegrei é perigoso?

A região de Nápoles, em Itália, pode ser mais famosa pelo vulcão Vesúvio, que destruiu a cidade de Pompeia em 69 d.C., mas o vulcão Campi Flegrei é uma preocupação mais imediata.

Abrange uma vasta área, com uma depressão suave com cerca de 12 a 14 km de comprimento, e 500 000 pessoas vivem na sua zona vermelha - a área de maior risco designada pela Agência de Proteção Civil de Itália. A zona amarela conta com mais 800 000 habitantes.

Há cerca de 30.000 anos, o vulcão terá contribuído para a extinção do homem de Neandertal.

Em 1538, o vulcão entrou em erupção durante um período de oito dias, expelindo lava, rochas e nuvens de cinzas suficientes para formar uma nova montanha. Na década de 1980, houve outro surto de atividade que resultou na evacuação de 40.000 habitantes das proximidades.

Desde então, o supervulcão tem estado relativamente calmo.

Agora, no entanto, um estudo realizado por investigadores da University College London (UCL) e do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV), em Itália, concluiu que poderá estar iminente um novo despertar.

"Não estamos a dizer que vai haver uma erupção, estamos a dizer que as condições para uma erupção são mais favoráveis", disse o autor principal Christopher Kilburn da UCL à AFP.

Uma das razões é que dezenas de milhares de pequenos terramotos que ocorreram desde a década de 1950 enfraqueceram a cavidade no cume do vulcão, conhecida como caldeira.

Irá o vulcão Campi Flegrei entrar em erupção?

No estudo, publicado na revista Nature na sexta-feira, os cientistas referem que "partes do vulcão foram esticadas quase até ao ponto de rutura".

Desde 2019, o número de pequenos tremores tem vindo a aumentar, acumulando pressão sobre a crosta do vulcão. Em abril, foram registadas 600 destas vibrações.

O nível do solo circundante também subiu. A cidade costeira de Pozzuoli foi elevada em quase quatro metros desde a década de 1950, de acordo com o relatório.

Os sismos e a elevação do solo são cumulativos, pelo que uma erupção pode não ser precedida de um aumento significativo da atividade.

"Uma eventual erupção pode ser precedida por sinais relativamente fracos, como uma menor taxa de elevação do solo e menos terramotos", segundo os autores do estudo.

Afirmaram também que era improvável uma grande erupção, mas que poderia ocorrer uma série de pequenas erupções.

PUBLICIDADE

Além disso, "o magma precisa de ser empurrado para cima no local certo para que a erupção ocorra", disse Kilburn.

O que acontece se o vulcão Campi Flegrei entrar em erupção?

Caso ocorra uma erupção, as autoridades locais têm um plano de evacuação em vigor. Este plano estipula que os residentes serão retirados da área utilizando transportes privados ou públicos no prazo de três dias.

Os níveis de risco verde, amarelo, laranja e vermelho são revistos mensalmente.

"O nível de alerta em Pozzuoli é atualmente amarelo", disse à AFP a porta-voz do conselho, Giordana Mobilio.

Os habitantes locais também recebem alertas de texto quando há um tremor de magnitude igual ou superior a 1,5 na escala de Richter.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O vulcão Etna entrou de novo em erupção

Vulcão Monte Merapi cobre de cinzas campos e aldeias na Indonésia

Aumento da atividade do vulcão Cotopaxi no Equador