EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Estudo revela que lentes de contacto podem estar a libertar microplásticos para os olhos

Em todo o mundo, até 140 milhões de pessoas usam lentes de contacto.
Em todo o mundo, até 140 milhões de pessoas usam lentes de contacto. Direitos de autor canva
Direitos de autor canva
De  Charlotte Elton
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Investigação revelou dados preocupantes.

PUBLICIDADE

As lentes de contacto que usa poderão estar a derramar microplásticos para os seus olhos, revela um novo estudo.

Em todo o mundo, até 140 milhões de pessoas usam lentes de contacto, mas o aliado visual pode ser uma fonte de poluição plástica prejudicial.

Num estudo publicado pela American Chemical Society, investigadores estimam que as lentes usadas durante 10 horas por dia podem libertar mais de 90 mil partículas de microplásticos por ano.

"O nosso estudo revela um caminho não descoberto de exposição direta a microplásticos para humanos”, concluíram os autores.

“[Isso] evidencia a necessidade urgente de avaliar os possíveis riscos para a saúde provocados pela exposição dos olhos a microplásticos.”

O que são microplásticos e como podem afetar a saúde humana?

Os microplásticos - minúsculas partículas de plástico de até 5 milímetros de comprimento - estão por toda parte. De acordo com um estudo de 2022, as pessoas consomem inadvertidamente até cinco gramas de micro e nano plásticos por semana. Equivale, aproximadamente, a um cartão de crédito.

O fenómeno pode ter implicações perigosas para a saúde.

As partículas minúsculas permanecem no sangue humano, alojam-se nos órgãos e poluem os fetos. Pesquisas recentes sugerem que podem ser capazes de induzir o processo que desencadeia mutações cancerígenas.

Canva
Lentes de contacto contribuem para a poluição plásticaCanva

Como é que os cientistas testaram as lentes de contacto e a exposição aos microplásticos?

Os cientistas reuniram seis tipos de lentes de contacto reutilizáveis de diferentes marcas e com diferentes limites de utilização.

Para simular o desgaste normal, as lentes foram armazenadas em água, mantidas sob uma lâmpada que imitava a luz do sol e enxaguadas com água três vezes a cada dez horas.

Depois de receberem o equivalente a 30 ou 90 dias de exposição à luz solar, os cientistas analisaram a água em que foram armazenadas.

Descobriram que as lentes com vida útil mais curta libertaram mais microplásticos.

Os autores pediram pesquisas "urgentes" sobre as consequências para a saúde dessas pequenas partículas.

As lentes de contacto contribuem para uma poluição plástica mais ampla?

Os microplásticos são apenas uma parte de um problema mais amplo de poluição plástica.

Só no Reino Unido, por ano, mais de 750 milhões de lentes de contacto são atiradas para os ralos dos lavatórios ou aterros.

Uma vez nos aterros, podem levar até 500 anos para se decompor, libertando, potencialmente, poluentes para o solo e para a água.

Dos 10 mil milhões de toneladas de plástico que já foram criados, uns impressionantes 6 mil milhões encontram-se em aterros sanitários ou poluem o meio ambiente.

Isso tem um impacto devastador na vida selvagem - mais de 90 por cento das aves marinhas do mundo têm plástico nas entranhas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Solstício de verão: energia solar ocupa um papel importante no setor da eletricidade

Lince ibérico já não está em vias de extinção. Esta é a “maior recuperação de uma espécie felina jamais conseguida"

Europa dividida entre calor extremo e chuvas torrenciais