EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

A Farm Zero C visa criar uma exploração leiteira com lucros e sem impacto climático. Será possível?

A Farm Zero C visa criar uma exploração leiteira com lucros e sem impacto climático. Será possível?
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Jeremy Wilks
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O projeto Farm Zero C, na Irlanda, tem como objetivo reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e, ao mesmo tempo, obter lucros. Será possível?

PUBLICIDADE

No Climate Now deste mês conhecemos as estratégias utilizadas para reduzir as emissões e aumentar a biodiversidade da Farm Zero C e discutimos os muitos desafios que temos pela frente no caminho para a neutralidade climática.

O abril mais quente de que há registo

Esta reportagem surge no momento em que o Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas registou mais uma série recordes máximos de temperaturas no mês de abril, outro sinal do rápido aquecimento em curso, fruto do aumento das emissões de gases com efeito de estufa provenientes da atividade humana. 

Anomalia de temperatura em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWF
Anomalia de temperatura em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWFeuronews

Globalmente, tivemos o abril mais quente de que há registo, com temperaturas 0,7 graus Celsius acima da média de 1991-2020, ou seja, 1,58 graus Celsius acima da média pré-industrial de 1850-1900 para abril. 

Anomalia da temperatura do ar à superfície na Europa em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWF
Anomalia da temperatura do ar à superfície na Europa em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWFeuronews

A Europa registou um forte contraste nas anomalias de temperatura ao longo do continente. No Leste Europeu, o mês passado foi muito mais quente do que a média. Ao mesmo tempo, a Escandinávia registou temperaturas abaixo da média. As temperaturas da superfície do mar atingiram um valor recorde em abril.

Anomalia de precipitação na Europa em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWF
Anomalia de precipitação na Europa em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWFeuronews

As regiões setentrionais da Europa registaram precipitações acima da média, uma situação que contrasta com o aparecimento de zonas mais secas do que a média, do leste de Espanha até à Turquia.

Anomalia de humidade do solo na Europa em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWF
Anomalia de humidade do solo na Europa em abril de 2024. Dados do Serviço Copernicus para as Alterações Climáticas, implementado pelo ECMWFeuronews

Ponto de situação da Farm Zero C

A Farm Zero C fez progressos significativos nos esforços para reduzir as emissões e aumentar a biodiversidade, embora ainda haja muito a fazer. "Já alcançámos uma redução de 27 por cento na nossa pegada de carbono", explica o gestor do projeto, Padraig Walsh. "Esperamos atingir cerca de 50 a 65 por cento na segunda fase e alcançar a neutralidade carbónica até 2030."

Atingir esses objetivos não será uma tarefa fácil, especialmente porque uma avaliação de ciclo de vida no início do projeto mostrou que a principal fonte de gases com efeito de estufa da quinta é também quem produz o leite, as 250 vacas cruzadas Friesian Holstein e Jersey. 

"Concluímos que o metano era um grande emissor", recorda Padraig. "Mais de metade das nossas emissões provêm do metano das vacas, que digerem os alimentos e libertam metano para a atmosfera".

As explorações leiteiras irlandesas dependem das exuberantes pastagens naturais do país para alimentar as vacas e produzir leite de alta qualidade. No entanto, os efeitos dos aditivos administrados às vacas durante o pastoreio, com o objetivo de reduzir a produção de metano, estão a revelar-se insuficientes, proporcionando apenas algumas horas de redução das emissões, em vez de dias ou semanas. 

Durante o inverno, os resultados são melhores, uma vez que as vacas permanecem no interior e os aditivos na alimentação conseguem reduzir as emissões de metano em 7 por cento, enquanto os produtos químicos adicionados ao chorume reduzem as emissões de metano em 75 por cento.

O projeto está também a implementar várias soluções naturais. A quinta de 100 hectares perto de Bandon tem vários campos com diversas espécies, onde foram introduzidos trevo-branco, banana pão e chicória juntamente com centeio. Estes ajudam a melhorar a estrutura e a drenagem do solo, retendo o carbono a maior profundidade e reduzindo a necessidade de utilizar fertilizantes artificiais, um produto dispendioso e de alta intensidade carbónica.

A investigadora doutoranda Mary Kate Doherty tem acompanhado a implementação dos campos com várias espécies e afirma que está a revelar-se uma prática muito eficiente. "No ano passado, muitos dos campos com trevo não receberam qualquer fertilizante químico e produziram tanta vegetação quanto os campos onde foram aplicados fertilizantes químicos", explica à Euronews.

Dez por cento da exploração agrícola é dedicada à promoção da biodiversidade. Temos o exemplo das áreas dos campos com pouca drenagem e que frequentemente se tornavam pantanosa, que foram transformadas em zonas húmidas naturais onde é feito o pastoreio uma ou duas vezes por ano. Estas zonas trazem muitos benefícios e, em breve, a exploração agrícola poderá medir com exatidão o potencial de armazenamento das mesmas, pois irá ser testada a chamada agricultura de carbono, na qual os agricultores vão ser recompensados pelos seus esforços para a mitigação dos gases com efeito de estufa. 

"Este tipo de área proporciona muitos benefícios a todo o meio ambiente e achamos justo que os agricultores sejam pagos por isso", defende Mary Kate. 

Criar um plano de negócios

A Farm Zero C é um projeto colaborativo com muitos parceiros e conta com intervenientes de grande relevância: 

a empresa de lacticínios Carbery Group e a organização de investigação científica BiOrbic, os gestores de terras Shinagh Estates e Teagasc, o parceiro financeiro AIB e os parceiros académicos UCD, UCC, Trinity College Dublin e MTU.

Reunir um vasto leque de investigadores universitários e de partes interessadas do setor empresarial é crucial para materializar estes objetivos e construir um modelo de negócio que os agricultores irlandeses possam seguir, um modelo amigo do ambiente e genuinamente rentável de lacticínios provenientes de animais que pastam livremente.

Segundo Padraig Walsh, fazer com que os consumidores se associem a esta missão também faz parte do processo.

PUBLICIDADE

"Acreditamos que os consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos com uma pegada de carbono menor. Temos de nos unir para enfrentar o desafio das emissões. E se queremos que os agricultores reduzam as emissões, teremos de os recompensar por isso", conclui.

Partilhe esta notícia