EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Reino Unido: Cameron autoriza membros do governo a fazerem campanha pelo "Brexit"

Reino Unido: Cameron autoriza membros do governo a fazerem campanha pelo "Brexit"
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

David Cameron vai dar liberdade aos ministros britânicos para que façam campanha a favor ou contra a permanência do Reino Unido na União Europeia.

PUBLICIDADE

David Cameron vai dar liberdade aos ministros britânicos para que façam campanha a favor ou contra a permanência do Reino Unido na União Europeia. O referendo sobre o chamado “Brexit” deve ocorreu até ao final de 2017.
A informação sobre esta decisão foi avançada esta terça-feira pela BBC e confirmada pelo próprio primeiro-ministro britânico no Parlamento.

David Cameron to announce that UK ministers will be allowed to campaign for either side ahead of the EU referendum https://t.co/uV0QWNGfEG

— BBC Breaking News (@BBCBreaking) 5 janeiro 2016

Este anúncio surge depois de se saber que vários membros do governo defendem a saída da União. Mas existe uma condição: os ministros só podem pronunciar-se em qualquer dos sentidos depois de serem conhecidos os resultados da renegociação dos termos da adesão britânica na União Europeia, o que deve acontecer na Cimeira Europeia marcada para 18 e 19 de fevereiro.

Recorde-se que David Cameron vai pedir aos restantes líderes europeus que sejam garantidos os direitos dos países da União que estão fora da moeda única; o Reino Unido quer ficar fora dos próximos passos para uma maior integração europeia; Cameron quer potencializar a competitividade do mercado único, e, além disso, o governo britânico quer ter poder para impôr limites às ajudas sociais que dá aos imigrantes europeus.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Equipa Olímpica de Refugiados reúne-se na Normandia antes dos Jogos de Paris

França: Yaël Braun-Pivet reeleita Presidente da Assembleia Nacional

Onda de calor na Europa: cortes de energia, monumentos encerrados, comida congelada para animais