EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Panamá Papers alvo de comissão de inquérito do Parlamento Europeu

Panamá Papers alvo de comissão de inquérito do Parlamento Europeu
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As revelações dos chamados Panamá Papers vão ser investigadas por uma uma comissão de inquérito do Parlamento Europeu, aprovada, esta quarta-feira, durante a sessão plenária, em Estrasburgo (França).

PUBLICIDADE

As revelações dos chamados Panamá Papers vão ser investigadas por uma uma comissão de inquérito do Parlamento Europeu, aprovada, esta quarta-feira, durante a sessão plenária, em Estrasburgo (França).

Em causa estão alegadas contravenções, pela Comissão ou pelos Estados-Membros, na aplicação das regras europeias relacionadas com o branqueamento de capitais, elisão e evasão fiscal.

O eurodeputado Sven Giegold explicou à Euronews que “temos de investigar porque é que foi possível violar sistematicamente a legislação europeia contra o branqueamento de capitais. Os jornalistas descobriram que foi possível abrir contas bancárias e empresas secretas, disfarçando o nome dos verdadeiros beneficiários de grandes quantias de dinheiro”.

A comissão de inquérito será composta por 65 eurodeputados e deverá apresentar um relatório dentro de um ano.

A lista desses eurodeputados será aprovada na próxima sessão plenária, que se realiza a 22 e 23 de junho, em Bruxelas.

A3 de abril passado, o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação revelou a existência de esquemas levados a cabo por uma empresa de advogados no Panamá, chamada Mossack Fonseca, para colocar dinheiro em sociedades offshore.

Em muitos casos há suspeitas de corrupção e branqueamento de dinheiro por parte de numerosas pessoas, algumas delas mundialmente conhecidas, incluindo líderes políticos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Políticas migratórias dão impulso a Meloni nas europeias

Anúncios de extrema-direita para as eleições europeias inundam as redes sociais

Bruxelas tem na calha mais seis parcerias no domínio da defesa