EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Líder dos socialistas europeus é candidato à presidência do Parlamento Europeu

Líder dos socialistas europeus é candidato à presidência do Parlamento Europeu
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Gianni Pittella, líder do grupo dos socialiostas europeus (S&D), anunciou esta quarta-feira que se vai candidatar ao cargo de presidente do Parlamento Europeu.

PUBLICIDADE

Gianni Pittella, líder do grupo dos socialiostas europeus (S&D), anunciou esta quarta-feira que se vai candidatar ao cargo de presidente do Parlamento Europeu. O italiano quer ser o substituto do alemão Martin Shulz, que sai agora para voltar à política nacional e candidatar-se às eleições, que se realizam no próximo outono.

Pittella defende que “os três presidentes das três principais instituições europeias não podem vir do Partido Popular. Uma das três deve ser entregue aos socialistas. Partindo desta base vamos estudar as convergências possíveis e vamos trabalhar com as formações políticas que partilham das nossas ideias”.

A candidatura de Pittella pode pôr em causa a grande coligação entre sociais democratas e democratas cristãos. Um acordo tácito entre as duas principais formações políticas prevê a partilha da presidência. O italiano não vai estar sozinho nesta corrida: deve enfrentar dois concorrentes do grupo liberal. O PPE só em dezembro deve anunciar o candidato.

O correspondente da euronews em Bruxelas, Sandor Zsiros, lembra que “ao que tudo indica houve intervenções muito fortes na reunião do Grupo Socialista e os deputados mostraram-se unidos: se não ficarem com a presidência do Parlamento Europeu, vão começar uma batalha política contra a direita no Parlamento, mas também fora, nas outras instituições europeias “.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Produtores de leite pedem legislação da UE que incentive rendimento justo

Alemanha: poderá o novo partido de extrema-esquerda travar a ameaça da extrema-direita nas europeias?

Macron homenageia vítimas do Holocausto e vai a Dresden no segundo dia da visita de Estado