This content is not available in your region

Comissão Europeia pede "medida bombástica" contra Polónia

Access to the comments Comentários
De  Isabel Silva  com com Lusa
Comissão Europeia pede "medida bombástica" contra Polónia

A Polónia é o alvo do executivo comunitário na sua primeira decisão histórica de "pedir a ativação do artigo 7.º do Tratado da União Europeia".

Em causa está o "risco claro de grave violação do Estado de direito" e a Polónia poderá ser privada do voto no Conselho Europeu.

A decisão foi anunciada, quarta-feira, em Bruxelas, pelo vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans (na foto), alegando que "estamos a fazer isto pela Polónia, pelos cidadãos polacos. Acredito realmente que todos os cidadãos de um Estado-Membro da União Europeia têm direito a uma justiça independente".

"Acredito que o nosso funcionamento enquanto União Europeia, a força por detrás da União Europeia, depende da igualdade para todos perante a lei", acrescentou Timmermans, que tem a pasta de supervisão do Estado de direito na União Europeia.

Em causa está a recusa do governo ultraconservador polaco de recuar nas reformas judiciais, iniciadas há dois anos, e que Bruxelas considera violarem a separação de poderes.

O primeiro-ministro polaco, Mateus Morawiecki, reagiu no Twitter, dizendo que está disponível para o diálogo porque "a Polónia é tão dedicada ao Estado de direito quanto o resto da União Europeia", mas acrescentou que "a reforma judiciária atual é profundamente necessária".

Para ativar o artigo, pelo menos 22 Estados-membros terão de apoiar o pedido da Comissão. Eventuais sanções contra a Polónia no final do processo exigirão voto por unanimidade.

Essa unanimidade deverá ser pouco provável, já que a Hungria - também num "braço de ferro" com Bruxelas sobre deriva autoritária - já anunciou que bloquearia tal decisão.

O governo de Varsóvia tem a partir de agora um prazo de três meses para retomar o diálogo e evitar este procedimento sem paralelo na história da União.