This content is not available in your region

Turqui faz balanço positivo de ação em Afrin, apesar das críticas

Access to the comments Comentários
De  Isabel Silva
Turqui faz balanço positivo de ação em Afrin, apesar das críticas
Direitos de autor  REUTERS/Khalil Ashawi

O governo da Turquia negou, esta quinta-feira, ter causado vítimas civis durante o primeiro mês da operação "Ramo de Oliveira".

"Quando alguém colabora com uma extensão síria do PKK, está ajudar o PKK"

Ruhi Açıkgöz Representante em Bruxelas do AKP

A Turquia alega estar a combater terrorismo transfronteiriço curdo na região de Afrin, no noroeste da Síria, controlada pelos curdos do YPG.

Mas milicianos europeus que foram ajudar os curdos sírios, tais como o francês William, dizem que "os turcos estão a atacar os curdos ajudados por grupos armados próximos do Daesh, tais como a Frente al-Nusra, a ex-Al Qaeda".

"A Turquia já não é um país aliado do Ocidente, pelo que o Ocidente deveria ter consciência disse e tomar as medidas adequadas", acrescentou William.

A Turquia informou que já neutralizou 1780 "terroristas", em referência aos milicianos do YPG.

"Negamos totalmente essas acusações. O YPG é uma formação síria que nasceu diretamente do PKK. Ora, o PKK é uma organização terrorista curda a operar na Turquia, como é reconhecido oficialmente pela União Europeia, pela NATO e pelos EUA. Quando alguém colabora com uma a extensão síria do PKK, está ajudar o PKK", disse, à euonews, Ruhi Açıkgöz, representante em Bruxelas do APK, partido no poder na Turquia.

Contudo, os Estados Unidos têm prometido manter o apoio à milícia curda da Síria, YPG, que tem sido de grande ajuda no combate aos extremistas do Daesh.