EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Viena quer receber Universidade da Europa Central

Viena quer receber Universidade da Europa Central
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A universidade que o governo da Hungria não quer em Budapeste poderá mudar-se para Viena. O comissário europeu para a Educação lava as mãos.

PUBLICIDADE

O impasse entre a Universidade da Europa Central (CEU - sigla em inglês) e o governo da Hungria mantém-se e o comissário europeu para a Educação, Tibor Navracsics, não vai intervir.

Questionado sobre o assunto, o antigo ministro de Viktor Orban, diz que não tem autoridade e não vê razões para tentar intervir como mediador.

"Do meu contexto especial, - é disso que fala - houve um momento em que não havia contactos diretos entre a Universidade e o governo da Hungria e, nessa altura, eu mediei ou tentei fazer a mediação. Agora há um contacto direto e eu não tenho mais nenhum papel nessa história. Claro que tenho a minha opinião pessoal sobre o assunto, mas, enquanto comissário, não devo fazer nenhum comentário".

A Universidade da Europa Central pondera a mudança de Budapeste para Viena. Na semana passada, o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, mostrou-se disponível para receber a instituição, após um encontro com o seu fundador, o multimilinário George Soros.

Heinz Fassman, o ministro austríaco da Educação, afirmou em Bruxelas:

"A Universidade pagará uma renda e outros gastos, se necessário, claro. Na Áustria é proibido o financiamento de universidades privadas pelo Estado, e, por isso, não podemos financiá-las. Eu pessoalmente gostaria de receber uma instituição como a Universidade da Europa Central. É uma universidade de excelente qualidade que enriqueceria a vida universitária em Viena".

O governo nacionalista da Hungria desenvolve uma campanha mediática e institucional contra o o multimilionário George Soros, que acusa de financiar a imigração ilegal e tentar interferir na política do país. A Universidade está a ser vítima colateral da "guerra" entre Soros e Orban.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Scholz recebe Orbán em Berlim sem fanfarras nem honras militares

Novo golpe para o Renew: Andrej Babiš retira os seus sete deputados ao Parlamento Europeu

Viktor Orbán acusa líder do Partido Popular Europeu de ser "hungarofóbico"