Charles Michel, novo construtor de consensos no Conselho Europeu

Charles Michel, novo construtor de consensos no Conselho Europeu
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Charles Michel, novo construtor de consensos no Conselho Europeu

PUBLICIDADE

Até há poucos dias primeiro-ministro belga, o liberal Charles Michel começa uma carreira mais internacional, mas também a partir de Bruxelas, capital do seu país. É o novo presidente do Conselho Europeu.

"Estou consciente desta enorme responsabilidade e, é claro, farei o meu melhor para cumprir esta tarefa", disse quando foi escolhido pelos pares, em julho.

A tarefa é presidir às cimeiras com os chefes de Estado e de governo dos países da União Europeia, bem como participar em reuniões com líderes de países terceiros.

REUTERS/Yves Herman

O perfil deve ser o de um construtor de consensos, a que Charles Michel está habituado, sendo nacional de um país bilingue e politicamente muito dividido.

O novo presidente do Conselho Europeu entrou cedo na política, aos 18 anos, que foi aprendendo como o pai, Louis Michel, que além de ocupar cargos nacionais foi comissário europeu.

A chefia do governo belga chegou para Charles Michel em 2014, sendo o mais jovem no cargo nos quase 200 anos de história do reino e tendo a migração sido um dos temas mais delicados de gerir.

Agora, exatamente dez anos após o também belga Herman Van Rompuy ter assumido este cargo, cabe a Charles Michel ser o chefe da nem sempre afinada orquestra de líderes comunitários.

"A Europa está a enfrentar desafios e, na minha opinião, esses desafios são também oportunidades", disse, quando foi nomeado.

A primeira cimeira da União Europeia a que presidirá vai decorrer a 12 e 13 de dezembro, em Bruxelas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tusk nomeado presidente do Partido Popular Europeu

Primeiro-ministro belga apresenta demissão

Líderes da UE sob pressão de Zelenskyy para reforçar as defesas aéreas da Ucrânia