EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Estado da União": Brexit, Orbán e render da guarda

"Estado da União": Brexit, Orbán e render da guarda
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um livro sobre o Brexit que ganhou um prémio literário, uma investigação sobre alegadas irregularidades que ajudaram a reeleger Viktor Orbán na Hungria e a tomada de posse de novos líderes nas instituições da União Europeia estão em destaque no "Estado da União".

PUBLICIDADE

Ursula von der Leyen já está, oficialmente, à frente da Comissão Europeia e algumas de suas promessas já começaram a assombrá-la. Por exemplo, a maior prioridade é o Acordo Verde Europeu que já foi criticado por ativistas climáticos antes mesmo de ser apresentado, na próxima semana.

Se tudo correr conforme o previsto, o Reino Unido deixará a União Europeia a 31 de janeiro, mais de três anos desde o referendo. O escritor Jonathan Coe inspirou-se nas profundas divisões criadas na sociedade britânica para um romance, com o qual ganhou o Prémio do Livro Europeu, tendo sido entrevistado sobre a atual crise política no país pela jornalista da euronews, Isabel Marques da Silva.

"Não penso que o ciclo vá ser quebrado por estas eleições (no Reino Unido, a 12 de dezembro). Boris Johnson será reeleito por pouco e iremos enfrentar cinco anos muito difíceis e conflituosos", disse o escritor.

"É bastante evidente que as pessoas se sentem frustradas, sentem que suas vozes não estão a ser ouvidas e que ter eleições a cada cinco anos não satisfaz as suas necessidade. Mas, ao mesmo tempo, um referendo é uma ferramenta muito grosseira e perigosa, na minha opinião. Logo, talvez fazer uma assembleia de cidadãos pudesse ser uma forma de preencher essa lacuna", acrescentou Jonathan Coe.

Neste programa falamos, ainda, de um relatório de uma organização não-governamental internacional que levou a cabo uma investigação de mais de um ano sobre as eleições na Hungria, em 2018, que reelegeram Viktor Orbán por maioria absoluta e que poderão ter sido pouco transparentes.

Destaques na agenda da próxima semana:

9 de dezembro

Cimeira sobre a Ucrânia, em Paris

12 de dezembro

Eleições no Reino Unido

12 e 13 de dezembro

Cimeira da União Europeia, em Bruxelas

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Viktor Órban responde a Bruxelas com um referendo

Unhack Democracy alega fraude eleitoral na Hungria

Estado da União: Von der Leyen e Metsola reeleitos, Trump nomeado