EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Julgamento do caso MH17

Julgamento do caso MH17
Direitos de autor Dmitry Lovetsky/ASSOCIATED PRESS
Direitos de autor Dmitry Lovetsky/ASSOCIATED PRESS
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Três russos e um ucraniano estão na mira da justiça da Holanda que começa, esta segunda-feira, a julgar um dos casos mais polémicos dos últimos anos: o abate de um avião da Malaysia Airlines em 2014 cusados são três russos e um ucraniano.A tragédia ocorreu em 17 de julho de 2014.

PUBLICIDADE

Passaram mais de cinco anos desde que um Boeing 777 da Malaysia Airlines, que fazia a ligação entre Amesterdão e Kuala Lumpur, na Malásia, foi abatido no leste da Ucrânia.

Esta segunda-feira começa, na Holanda, o julgamento centrado no voo MH17. Os familiares das 298 vítimas mortais esperam poder perceber o que realmente se passou e apoiam-se, por isso, na justiça.

Os quatro suspeitos de envolvimento não deverão estar presentes em tribunal. Três deles são russos, com ligações aos serviços de inteligência. O quarto suspeito, um líder rebelde separatista conhecido pelo apelido de "toupeira", é o ucraniano Leonid Karchenko. Todos negam as acusações que lhes são dirigidas.

De acordo com os procuradores, um míssil terra-ar Buk foi transportado de uma base russa para a região de Donbass, controlada por separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia, de onde foi disparado, provocando a queda da aeronave.

Os familiares das vítimas temem que o caso se arraste na justiça, mas os fatos serão expostos no julgamento para que a culpa não morra solteira.

Na contagem decrescente para o arranque do julgamento, a embaixada da Rússia na cidade holandesa de Haia foi o ponto de encontro para um protesto de familiares das vítimas.

Este domingo, instalaram-se 298 cadeiras vazias em frente ao imóvel em memória das pessoas que morreram durante o voo MH17.

A task force criada para investigar o caso concluiu que o avião foi atingido por um míssil antiaéreo soviético do tipo Buk.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Acusados ausentes do julgamento sobre queda do voo MH17

Josep Borrell prepara saída de cena com visitas aos países bálticos

Ex-deputada ucraniana morta a tiro em Lviv