EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Eurodeputados pressionam OMS

Eurodeputados pressionam OMS
Direitos de autor 
De  Joao Duarte Ferreira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A UE quer que a organização reconheça os erros cometidos e faça preparativos para evitar futuros surtos pandémicos

PUBLICIDADE

Serão as máscaras necessárias em espaços abertos? É perigoso viajar de metro? Muitas questões e respostas confusas quando a pandemia foi declarada e se alastrou.

A Organização Mundial de Saúde, OMS, foi criticada por ter alterado os critérios sobre como enfrentar o surto de Covid-19.

Esta quinta-feira em Bruxelas, os eurodeputados pediram ao diretor-geral da organização para assegurar melhor gestão no futuro e reconhecer os erros cometidos.

"Gostaria que adotasse a abordagem de Ursula von der Leyen, ela pediu desculpa quando cometeu um erro e talvez a OMS também possa aprender com isso. Não se trata de algo pessoal contra si ou os seus funcionários mas dirige-se mais aos estados-membros que não lhe dão responsabilidades suficientes", afirmou o eurodeputado alemão Peter Liese, do grupo do PPE.

À medida que o vírus alastra, a OMS não pode lutar sózinha, insistiu o diretor-geral.

"Devemos trabalhar em conjunto para garantir que são aprendidas lições desta pandemia e o mundo nunca mais é apanhado de surpresa. Há muito que o mundo opera num ciclo de pânico e negligência e é por isso que a OMS faz dos preparativos uma prioridade" declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Alguns eurodeputados apelam à partilha de informações entre países e organizações supranacionais.

O eurodeputado finlandês do Grupo dos Verdes, Ville Niinisto, afirma:

"A ideia é que todos os países partilhem dados e propriedade intelectual relacionados com as tecnologias que podem ser úteis no combate ao Covid-19. Mas poucas empresas e estados-membros, mesmo na UE, apoiam isso. A ideia de abrir a ciência a todos no contexto de uma crise de saúde, é algo em que temos que trabalhar na Europa", afirma.

À medida que continua a corrida para se encontrar uma vacina, muitos acreditam que a OMS tem agora uma nova oportunidade para recuperar credibilidade.

Nome do jornalista • Laura Ruiz Trullols

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA abandonam Organização Mundial da Saúde

OMS diz que contágios deverão chegar aos 10 milhões na próxima semana

OMS vê estabilização da pandemia no Brasil mas pede cautela