This content is not available in your region

Micro-redes de produção de energia local e renovável: um modelo para a Europa?

De  Aurora Velez  & euronews
euronews_icons_loading
Micro-redes de produção de energia local e renovável: um modelo para a Europa?
Direitos de autor  euronews

Uma aldeia do Vercors em França produz energia localmente para responder às necessidades de 38 famílias.

No âmbito do projeto europeu Alpgrids, foram instalados painéis solares em propriedade agrícolas. A iniciativa visa melhorar a autonomia energética de zonas alpinas isoladas. Uma micro-rede produz eletricidade a partir de fontes renováveis.

O projeto permitiu regularizar a distribuição de energia e estabilizar os preços da eletricidade. "Com a rede normal, por vezes temos problemas com o fornecimento de electricidade, graças à produção local, podemos evitar cortes de energia no futuro", explicou David Vieux, membro da Association Communale de Production d'Électricité Verte (ACOPREV).

A iniciativa Alpgrids apoia sete projetos-piloto de produção de energia nas zonas alpinas de cinco países da União Europeia (França, Itália, Alemanha, Áustria e Eslovénia). O custo total do projeto é de 1,88 milhões de euros. Cerca de 1,59 milhões provêm da Política de Coesão Europeia. Ha 12 parceiros envolvidos na iniciativa.

Um modelo que pode ser reproduzido noutros países

Nalguns países, os projetos-piloto funcionam de forma autónoma sem ligação à rede geral. Em França, a legislação não integra esta possibilidade. A Compagnie Nationale du Rhône (CNR) é uma das parceiras do projeto. A empresa francesa procura melhorar a articulação entre vários aspetos da produção, o equilíbrio económico e a ligação da micro-rede à rede geral.

“O autoconsumo coletivo de energia implica os cidadãos e passa por agrupar a produção de energia localmente. A ideia nao é criar uma pequena aldeia isolada, é uma forma de ter energia local que pode eventualmente aliviar a rede e fornecer soluções para os problemas da rede geral”, explicou Guillaume Bontron, gestor de projetos de inovação do CNR.

A iniciativa nasceu da vontade de três presidentes de Câmara interessados em explorar o potencial das energias renováveis nas zonas rurais, o que levou à criação de uma associação e de uma cooperativa que aderiu ao projeto Alpgrids. A iniciativa beneficiou seis aldeias.

"O objectivo é precisamente desenvolver outros sítios de produção. O nosso objectivo é ter cerca de 350 novos assinantes. O que representa uma bacia hidrográfica de 750 habitantes nos seis municípios", afirmou Alain Vicent, vice-presidente da ACOPREV.

O projeto Alpgrids poderá ser reproduzido noutras regiões da Europa.