EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Península Ibérica com exceção energética

Portugal e Espanha vão poder limitar preço do gás
Portugal e Espanha vão poder limitar preço do gás Direitos de autor AP PhotoAP Photo/Geert Vanden Wijngaert
Direitos de autor AP PhotoAP Photo/Geert Vanden Wijngaert
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

União Europeia aprova mecanismo que vai limitar os preços do gás em Portugal e Espanha

PUBLICIDADE

A Península Ibérica terá a sua própria exceção energética. Portugal e Espanha chegaram a um acordo político com Bruxelas para limitar os preços do gás.

O acordo permite a criação de um mecanismo temporário que terá a duração de 12 meses, durante os quais será fixado um preço médio do gás de 50 euros o MWh (megawatt hora), mas tem início nos 40 euros.

"É um acordo que se destina, fundamentalmente, a reforçar a proteção dos consumidores que têm um maior nível de exposição à evolução do mercado grossista de eletricidade, dissociando da formação de preços, o preço do gás natural", refere a ministra espanhola para a Transição Ecológica, Teresa Ribera.

O acordo materializar-se-á a partir da próxima semana e os consumidores ibéricos começam a sentir os efeitos na carteira já a partir de maio.

O ministro português do Ambiente, Duarte Cordeiro, sublinha que "este acordo, que nós conseguimos, permite proteger os consumidores que estavam expostos ao mercado e vem, desta forma, reforçar essa proteção."

O anúncio de acordo ocorre depois da última reunião do Conselho Europeu onde se reconheceu a singularidade energética da Península Ibérica: ambos os países têm uma maior quota de energias renováveis e baixas interconexões com outros países da União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chéquia quer cortar a energia russa na União Europeia

Crise dos preços da energia divide Estados-membros

Eleitores da minoria russa na Estónia prontos a votar nas próximas eleições europeias