EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Bruxelas tem proposta para influenciar índices de preços do gás

Presidente da Comissãoo Europeia, Ursula von der Leyen, ainda não quer fixar tetos de preços
Presidente da Comissãoo Europeia, Ursula von der Leyen, ainda não quer fixar tetos de preços Direitos de autor Jean-Francois Badias/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Jean-Francois Badias/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Aida Sanchez AlonsoIsabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O pacote de medidas será analisado pelos chefes de Estado e de Governo, na cimeira, em Bruxelas, na próxima quinta e sexta-feira, e as decisões serão, atentamente, seguidas pelos mercados.

PUBLICIDADE

Ainda não está convencida com a ideia de fixar um teto máximo de preço para as importações do gás. Mas para mostrar que, antes do inverno, a Comissão Europeia tem propostas sólidas para baixar os preços da energia, a sua presidente apresentou um novo pacote de medidas que ajudarão os cidadãos e as empresas.

São várias ideias para começar a reformular o mercado, incluindo influenciar os atuais índices de preços, explicou Ursula von der Leyen: "O elemento que estamos agora a colocar sobre a mesa é um mecanismo de correção do mercado, para eliminar a especulação e a volatilidade do índice TTF, que já não é representativo. Isso terá um efeito de acalmia sobre os preços do gás que são negociados na União Europeia (UE)".

Bruxelas propõe a criação de um índice complementar ao atual TTF, que é transacionado num mercado nos Países Baixos, e que serve de referência para os contratos na Europa.

O novo índice seria aplicado, especificamente, ao Gás Natural Liquefeito, agora negativamente afetado pelos preços aplicados ao gás disponibilizado via gasodutos.

Mais solidariedade precisa-se

Por outro lado, para aumentar a solidariede entre os 27 países, é proposto que pelo menos 15% do gás para armazenamento em cada país seja adquirido numa plataforma conjunta com outros países e que se criem mais acordos bilaterais com os vizinhos.

Atualmente, apenas estão em vigor seis acordos de solidariedade, quando há um potencial para 40. Novas regras serão aplicadas por defeito, se esses acordos não forem, voluntariamentre, estabelecidos pelos governos.

Depois da alguma resistência, a Comissão Europeia poderá, também,  estudar como aplicar o chamado mecanismo da Peninsual Ibérica aos resto da União.

Em maio, Portugal e Espanha começaram a aplicar um sistema de subsídios para baixar os preços, autorizado pela Comissão Europeia, tendo em conta que usavam muitas fontes de energia renováveis, mas os preços da eletricidade estão, por defeito, indexados ao do gás.

O pacote de medidas será analisado pelos chefes de Estado e de Governo, na cimeira, em Bruxelas, na próxima quinta e sexta-feira, e as decisões serão, atentamente, seguidas pelos mercados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Corredor de energia verde agrada a Alemanha

Solidariedade testada em cimeira da UE sobre preço da energia

Bulgária continua sem previsão para a formação de um governo quatro dias após legislativas